PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Governo dos EUA retira seu pessoal não essencial da Venezuela

Embaixada dos Estados Unidos em Caracas, na Venezuela - Federico Parra/AFP
Embaixada dos Estados Unidos em Caracas, na Venezuela Imagem: Federico Parra/AFP

Em Washington

24/01/2019 23h09

O governo dos Estados Unidos ordenou nesta quinta-feira (24) a evacuação de todo seu pessoal não essencial na Venezuela depois que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, lhes deu 72 horas para sair do país.

Em um alerta de segurança, o Departamento de Estado dos EUA também recomendou aos americanos que residam ou estejam de viagem na Venezuela "considerar seriamente" deixar o país "enquanto os voos comerciais sigam disponíveis".

Aos americanos que optem por ficar na Venezuela, o governo recomendou "ter as provisões adequadas para permanecer nas suas casas".

A embaixada dos EUA em Caracas permanecerá aberta nas próximas horas, embora com "sua capacidade limitada a fornecer serviços de emergência aos cidadãos americanos na Venezuela".

Maduro ordenou nesta quarta-feira (23) a saída de todo o pessoal diplomático dos EUA no país depois que o presidente Donald Trump reconheceu o autoproclamado presidente venezuelano em exercício, Juan Guaidó, como governante legítimo.

O secretário de Estado, Mike Pompeo, respondeu então que os EUA não retirariam seu pessoal por não reconhecer a autoridade de Maduro, que rotulou de "ex-presidente".

"Os Estados Unidos mantêm relações diplomáticas com a Venezuela e as faremos através do governo interino de Guaidó, que convidou nossa missão a permanecer na Venezuela", disse Pompeo.

Nesta quinta, Maduro reiterou sua decisão, "que mantém com firmeza", de romper relações diplomáticas e políticas "com o governo imperialista de Donald Trump, e expulsar todo seu pessoal diplomático" da Venezuela.

"Até o domingo têm 72 horas para se retirar da Venezuela", insistiu Maduro, que ordenou também o fechamento das embaixadas e consulados americanos no país caribenho quando se esgotar esse prazo. 

Internacional