PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA sancionam estatal venezuelana de mineração de ouro

19/03/2019 14h29

Washington, 19 mar (EFE).- O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos sancionou nesta terça-feira a estatal venezuelana Minerven, que atua na mineração de ouro, assim como o presidente da empresa, Adrián Antonio Perdomo.

"Vamos perseguir de maneira agressiva os envolvidos com o imprudente comércio ilícito de ouro do presidente da Venezuela (Nicolás Maduro), que está contribuindo para esta crise financeira, humanitária e ambiental (no país sul-americano)", apontou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

A Minerven, cuja sede fica em El Callao, explora e processa o ouro das minas de Guayana, no sul da Venezuela.

Em comunicado, Mnuchin disse que "o regime ilegítimo de Maduro está saqueando a riqueza da Venezuela e coloca em perigo as populações indígenas ao invadir as áreas protegidas e causar o desmatamento e a perda do habitat".

Nos últimos meses, o governo americano aumentou a pressão sobre os funcionários venezuelanos relacionados com Maduro e advertiu que a Venezuela recorre de maneira crescente ao comércio de ouro sem controle do meio ambiente e de contabilidade para financiar supostas redes de corrupção.

"A mineração e a posterior venda de ouro foram uma das estratégias financeiras mais lucrativas do regime de Maduro nos últimos anos, já que centenas de milhares de mineradores extraíram ouro em minas improvisadas e perigosas no sul da Venezuela, todas controladas pelo Exército venezuelano", argumentou hoje o Tesouro.

O governo de Donald Trump denunciou que estes trabalhadores e suas comunidades "estão expostos a abusos ambientais", já que são utilizados elementos tóxicos perigosos, como o mercúrio, no processo de mineração.

Como consequência das sanções, ficam congelados os ativos que estas empresas e pessoas possam ter sob jurisdição americana, além de proibidas as transações financeiras com eles.

Em janeiro, John Bolton, assessor de Segurança Nacional de Trump, avisou que os EUA estão preparados para atuar contra aqueles que façam negócios relacionados com o ouro e o petróleo da Venezuela, depois de impor mais sanções à companhia petrolífera estatal "PDVSA".

Os EUA já tinham anunciado em novembro do ano passado sanções aos cidadãos e empresas americanas que façam "transações fraudulentas e corruptas" com o ouro venezuelano, embora até agora não tivesse imposto restrições aos negócios ilícitos com esse setor. EFE

Internacional