PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Presidente do Líbano critica decisão dos EUA sobre Colinas de Golã

26/03/2019 13h01

Moscou, 26 mar (EFE).- O presidente do Líbano, Michel Aoun, criticou nesta terça-feira em reunião com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o reconhecimento dos Estados Unidos da soberania de Israel sobre as Colinas de Golã.

"Sem sombra de dúvidas, enfraquece os alicerces da ONU e do direito internacional desde a fundação dessa organização", disse Aoun no início da reunião, segundo informa a agência "Interfax".

Aoun lembrou que "é a segunda vez na história da região que um Estado simplesmente se apropria de um território".

"Evidentemente, isto preocupa muito os países que estão muito perto de Israel", acrescentou.

Por sua vez, Putin lembrou que o estabelecimento de relações diplomáticas da Rússia com o Líbano completa 75 anos em 2019, mas não se referiu às Colinas de Golã.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, lamentou hoje "profundamente" a decisão de Washington e adiantou que esse assunto seria discutido por Putin e Aoun durante sua reunião em Moscou.

"Tal decisão terá consequências negativas do ponto de vista do processo de paz no Oriente Médio e da atmosfera política geral em torno do acerto na Síria. Disso ninguém tem dúvida", comentou.

Além disso, Peskov ressaltou que a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, "é mais um passo de Washington adotado em clara violação do direito internacional".

Em 2013, Putin propôs enviar boinas azuis à região para a mediação entre Síria e Israel em substituição do contingente austríaco da Força de Separação da ONU.

Os EUA são o primeiro país a reconhecer a soberania de Israel sobre uma área que foi tomada da Síria na Guerra dos Seis Dias (1967) e anexada em 1981. EFE

Internacional