Topo

Chanceler do Irã diz que Trump está cercado de pessoas sedentas por guerra

Vahid Salemi/ AP
31.jan.2017 - O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, fala durante entrevista coletiva em Teerã, Irã Imagem: Vahid Salemi/ AP

2019-06-24T17:30:00

24/06/2019 17h30

O ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, disse nesta segunda-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está rodeado de pessoas "sedentas" por uma guerra entre os dois países.

As declarações do chanceler foram dadas após a decisão anunciada hoje por Trump de impor novas sanções ao Irã. Entre os alvos, segundo o governo americano, está o líder supremo da República Islâmica, o aiatolá Ali Khamenei.

"Donald Trump está 100% certo em dizer que o Exército dos EUA não tem nada o que fazer no Golfo Pérsico. A retirada das forças americanas (da região) está totalmente em linha com os interesses dos Estados Unidos e do mundo", disse Zarif no Twitter.

"Mas agora está claro que o 'time B' não está preocupado com os interesses dos EUA. Eles desprezam a diplomacia e estão sedentos por uma guerra", continuou o chanceler iraniano.

Por "time B', Zarif se refere ao assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, e do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman.

Ontem, em outro tweet, Zarif disse que o "time B" está praticamente conduzindo Trump a provocar uma guerra.

O presidente americano anunciou hoje a imposição de sanções financeiras a Khamenei e a oito comandantes da Guarda Revolucionária do Irã. Segundo Trump, as novas punição tirarão do líder supremo da República Islâmica o acesso a recursos financeiros essenciais para financiar o regime dos aiatolás no país.

"Esta medida responde a uma série de comportamentos agressivos do regime iraniano nas últimas semanas, incluindo a destruição de um drone americano", disse Trump.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, antecipou que a Casa Branca planeja sancionar o próprio Zarif, figura-chave da negociação do acordo nuclear assinado pelos dois países em 2015. Trump deixou o pacto pouco depois de chegar ao poder.

O drone americano que provocou a crise era do modelo MQ-4 Triton e foi derrubado por um míssil terra-ar lançado a partir do sistema de defesa aérea Khordad 3, projetado pelo Irã.

Segundo o governo do Irã, o drone violou as normas internacionais ao invadir o espaço aéreo do país. A Casa Branca alega que a aeronave foi derrubada enquanto sobrevoava águas internacionais.

Mais Internacional