Topo

Câmara dos EUA rejeita abertura de processo de impeachment contra Trump

17/07/2019 20h38

Washington, 17 jul (EFE).- A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, que é controlada pelo Partido Democrata, descartou nesta quarta-feira realizar uma votação para iniciar um processo de impeachment contra o presidente Donald Trump por seus comentários "racistas" contra quatro congressistas.

Apenas 95 democratas votaram contra rejeitar a abertura do processo de impeachment, enquanto 332 legisladores - todos os republicanos da Casa e os democratas da ala mais central do partido - o fizeram a favor.

O congressista democrata Al Green apresentou ontem um texto legal para a abertura de um processo de impeachment no qual acusava Trump de cometer graves crimes e delitos menores com seus comentários contra quatro legisladoras progressistas, às quais o presidente pediu que "deixassem o país" apesar de serem cidadãs americanas.

"Temos que deixar o mundo saber como nos sentimos por termos um intolerante na Casa Branca", declarou Green aos jornalistas nesta quarta-feira.

Green recorreu a um mecanismo que obriga a Câmara dos Representantes a votar seu pedido no prazo de dois dias, segundo o site de notícias "Politico".

A presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, deixou claro antes da votação que não concordava com a estratégia de Green e lembrou que há "seis comissões" da Câmara "trabalhando no acompanhamento dos fatos" para determinar se há base suficiente para abrir um processo de impeachment contra Trump pelo crime de "obstrução de justiça".

Pelosi tinha a opção de promover um voto procedimental para adiar ou congelar a medida promovida por Green, e finalmente optou pela última.

O debate sobre a abertura de um processo de impeachment contra Trump ganha força na medida em que se aproxima a campanha eleitoral de 2020, com uma pressão cada vez maior em favor dessa possibilidade por parte da ala mais progressista do Partido Democrata.

As perspectivas de vitória para Green são escassas porque, embora o processo comece na Câmara dos Representantes, que é controlada pelos democratas, depois seriam necessários dois terços dos votos no Senado, que é comandado pelos republicanos, para destituir Trump da presidência.

Apesar dos comentários contra as congressistas, Trump conseguiu manter o apoio da maioria dos republicanos: apenas quatro deles votaram na terça-feira a favor da resolução que condenou os tweets do presidente e os rotulou como "racistas". EFE

Mais Internacional