PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Argentina e México têm recorde diário de casos, e Colômbia, de mortes por covid-19

De máscara, mulher anda de bicicleta em Buenos Aires, na Argentina - Marcelo Endelli/Getty Images
De máscara, mulher anda de bicicleta em Buenos Aires, na Argentina Imagem: Marcelo Endelli/Getty Images

Em Buenos Aires (Argentina)

24/07/2020 04h09

A Argentina e o México atingiram ontem o recorde diário de casos confirmados do novo coronavírus. Já a Colômbia atingiu o maior número de mortes causadas pela covid-19.

A Argentina superou a marca de 6 mil novos casos, com 6.127 infectados, segundo o Ministério da Saúde, o que elevou o total desde o começo da pandemia no país vizinho para 148.027.

É o terceiro dia seguido em que há um novo recorde de notificações de infecção pela covid-19 no país vizinho, que hoje confirmou mais 114 mortes pela doença. Com isso, o total de vítimas subiu para 2.702.

Dos 148.027 casos de coronavírus detectados pelas autoridades sanitárias argentinas desde 3 de março, 1.101 são importados, 45.026 são contatos próximos de pessoas contagiadas anteriormente, 76.114 são de circulação comunitária e 25.786 estão sob investigação epidemiológica.

Até agora, 62.815 pessoas se curaram do vírus. Por outro lado, há em toda a Argentina 913 pacientes de covid-19 internados em unidades de terapia intensiva.

A porcentagem de ocupação de leitos de UTI por todos os tipos de patologias é de 55,4% a nível nacional, mas 64% se considerada apenas a região metropolitana de Buenos Aires, que concentra quase 90% dos novos casos.

Reunião com o laboratório

O presidente Alberto Fernández se reuniu ontem na residência Olivos, nos arredores de Buenos Aires, com executivos da empresa farmacêutica AstraZeneca, que está trabalhando com a Universidade de Oxford, do Reino Unido, para desenvolver uma vacina contra a covid-19.

De acordo com fontes oficiais, Fernández manifestou o desejo de que a Argentina tenha acesso rápido e equitativo à vacina potencial, dando prioridade às populações em situação de risco.

As fontes acrescentaram que a AstraZeneca já se comprometeu que, se os ensaios clínicos forem bem-sucedidos, fará com que a vacina chegue ao máximo de pessoas possível, sem retornos econômicos durante a duração da pandemia.

México

O México também registrou ontem o maior número de casos de coronavírus no país em um período de 24 horas, com 8.438, o que elevou o total de infectados desde o começo da pandemia para 370.712, segundo relatório diário das autoridades sanitárias.

O diretor de Epidemiologia do governo mexicano, José Luis Alomía, afirmou que já houve 41.908 mortes por covid-19 no país desde 28 de fevereiro, quando o primeiro contágio foi relatado, 718 delas confirmadas nesta quinta.

Foi a primeira vez que houve mais de 8 mil casos no país da América do Norte em um dia, o que o deixa em sétimo lugar no número de contaminados em todo o mundo, com pouco menos que o Peru, sexto. No ranking de óbitos por covid-19, o México está em quarto, atrás de Estados Unidos, Brasil e Reino Unido.

Colômbia

Já a Colômbia teve ontem um recorde nacional diário de mortes por covid-19, com 315 confirmações, o que mostra que a propagação da pandemia continua acelerando, principalmente em Bogotá, que hoje registrou mais de 100 óbitos pela primeira vez, com 111.

De acordo com o boletim diário do Ministério da Saúde, hoje foram notificados mais 7.945 casos, entre eles 3.750 na capital, que nunca tinha passado de 3 mil por dia. Com os novos dados, o país vizinho acumulou 7.688 mortes devido à crise sanitária e 226.373 infecções, das quais 110.281 ainda estão ativas.

Durante o dia, 6.338 pacientes foram recuperados da covid-19 em todo o país, elevando o total desde o início da crise para 107.951.

Coronavírus