PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Netanyahu afirma que responderá com "força cada vez maior" a ataques de Gaza

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu - Ronen Zvulun/Pool/AFP
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu Imagem: Ronen Zvulun/Pool/AFP

12/05/2021 21h57

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta quarta-feira que continuará intensificando a força dos ataques de retaliação contra as milícias palestinas em Gaza, pouco depois de uma complexa operação para matar vários comandantes da liderança militar do movimento islamita Hamas.

"Eliminamos comandantes superiores do Hamas e isto é apenas o começo", advertiu o chefe de governo israelense em exercício, após um ataque direcionado horas antes pelo exército e serviços de inteligência para matar membros de alta patente do braço armado do grupo.

"Israel vai responder e está respondendo com força cada vez maior para dar golpes às milícias com os quais nem sequer podiam sonhar", declarou Netanyahu no centro médico Wolfson em Holon, onde visitou feridos por projéteis disparados de Gaza.

Desde que a onda de violência entre Israel e Gaza explodiu na segunda-feira, pelo menos 48 palestinos - entre eles 14 crianças - morreram no enclave, enquanto seis pessoas morreram em Israel, incluindo uma adolescente.

Milícias palestinas dispararam mais de mil projéteis contra Israel (200 dos quais falharam e caíram na Faixa) que também atingiram Jerusalém e Tel Aviv, enquanto Israel efetuou mais de 500 bombardeios de retaliação contra alvos no enclave.

Entre os oficiais superiores do Hamas mortos hoje, o exército israelense confirmou um aliado próximo de Mohammed Deif, comandante das Brigadas Al Qassam, que hoje ameaçou atacar "novos alvos" em Israel às 18h (horário local, 12h de Brasília).

Por sua vez, as Brigadas Al Qassam, braço armado do movimento islamita Hamas, confirmaram hoje a morte de um dos seus líderes, Bassem Issa, comandante na cidade de Gaza, vítima de um bombardeio israelense.

Internacional