PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
5 meses

Biden anuncia envio de 100 drones americanos à Ucrânia

Washington

16/03/2022 19h38

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quarta-feira o envio de cem drones americanos à Ucrânia e garantiu que ajudará o país europeu a adquirir sistemas antiaéreos "de maior alcance" para se defender dos bombardeios russos.

Biden fez o anúncio em discurso na Casa Branca no qual anunciou a entrega de mais US$ 800 milhões em assistência à Ucrânia, após o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ter pedido ao Congresso americano uma zona de exclusão aérea sobre o seu país.

"Isto incluirá os drones, o que demonstra o nosso empenho em enviar os nossos sistemas tecnológicos mais avançados para a Ucrânia, para a sua defesa", explicou, sem esclarecer se os drones estarão armados.

A Casa Branca detalhou mais tarde, em comunicado, que cem "sistemas aéreos táticos não tripulados" serão enviados para a Ucrânia, em pacote que também inclui 800 novos mísseis antiaéreos Stinger, elevando para mais de 1.400 o número fornecido à Ucrânia no último ano.

Além disso, Biden disse que a sua gestão está "ajudando a Ucrânia a adquirir mais sistemas antiaéreos de maior alcance", como Zelensky solicitou, "para que possam continuar a impedir aviões (russos) e helicópteros de atacarem o seu povo".

Os EUA também fornecerão à Ucrânia mais 9.000 projéteis antiblindagem, incluindo mais 2.000 mísseis Javelin, 6.000 lança-foguetes AT-4 antitanque e mil armas mais leves utilizadas para destruir veículos blindados.

A assistência inclui também cem lança-granadas, 5.000 espingardas, mil pistolas, 400 metralhadoras e 400 espingardas, assim como mais de 20 milhões de munições e balas para estas armas de fogo.

"Esta pode ser uma batalha longa e difícil, mas o povo americano permanecerá firme no nosso apoio ao povo da Ucrânia", disse Biden.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

O mandatário tentava assim responder ao apelo de Zelensky por mais ajuda contra os bombardeios russos, mas parou de conceder o principal desejo do governante ucraniano expressado ao Congresso: o estabelecimento de uma zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia.

Tanto os EUA como o resto dos seus aliados da Otan descartaram tal opção por receio de que pudesse levar a um confronto militar direto entre os seus países e a Rússia.

Os US$ 800 milhões anunciados nesta quarta-feira por Biden fazem parte de um pacote de assistência à Ucrânia no valor de US$ 13,6 bilhões aprovado pelo Congresso na semana passada. EFE

embed do álbum de hoje: