PUBLICIDADE
Topo

Lei de Cotas prestes a fazer 10 anos: ela pode acabar?

Faculdade Zumbi dos Palmares - Junior Lago/UOL
Faculdade Zumbi dos Palmares Imagem: Junior Lago/UOL

Colaboração para o UOL

21/06/2022 09h00

Esta é a versão online para a edição desta terça-feira (21/06) da newsletter Nós Negros, que destaca algumas dúvidas sobre a possível revisão da Lei de Cotas no Congresso Nacional, além de uma seleção de outros conteúdos do UOL. Para assinar esse e outros boletins e recebê-los diretamente no seu email, cadastre-se aqui. Para receber outros 10 boletins exclusivos, assine o UOL.

********

Sancionada em 2012, a Lei de Cotas tem previsão de ser revisada em agosto deste ano, quando completa 10 anos em vigência. A lei prevê a reserva de 50% das vagas das universidades e institutos federais de ensino superior a estudantes de escolas públicas. Dentro dessa reserva, estipula regras para destinar vagas a alunos de baixa renda, negros (que correspondem à parcela de pretos e pardos), indígenas e com deficiência.

Com uma possível rediscussão da ação afirmativa no Congresso Nacional, muitas dúvidas têm surgido: será que a lei pode deixar de existir? A revisão dela é obrigatória? O UOL Educação trouxe algumas destas respostas.

***

AMÉRICA LATINA... O pioneirismo de mulheres negras segue a todo vapor. A advogada e ativista ambiental Francia Márquez se tornou a primeira mulher negra eleita à vice-presidência da Colômbia, concorrendo na chapa do senador Gustavo Petro, da Coalizão Pacto Histórico. Vale a pena dar uma olhada no perfil que Universa preparou sobre ela.

***

SEM MEDO... Mulher negra, criada na periferia, divorciada e mãe. Vera Araújo, 57, conta sobre os desafios de fundar a VA Gestão de Negócios, consultoria voltada a empresas de gastronomia. "Cresci dentro da famosa 'democracia racial', na qual há limites para a violência, hostilidade, e até um certo prazer em praticar o racismo", conta.

***

LUVA EM PAUSA... Iran Ferreira, mais conhecido como Luva de Pedreiro, é considerado um fenômeno pelo rápido sucesso e crescimento nas redes sociais. São 14 milhões de seguidores só no Instagram. Mas o sucesso parece ter seu preço. Nesta semana, ele divulgou um vídeo que preocupou os fãs.

***

BARRACÃO... "Perdeu alguém por causa da Portela?", indaga Teresa Cristina no episódio de "Botequim da Teresa" com a sambista e portelense Tia Surica. "O casamento", responde a matriarca da Portela. O motivo do término pode ter sido um tanto inusitado!

***

NAS TELAS... Nesta semana, os atores e ex-BBB's Douglas Silva, o DG, e Babu Santana cantaram juntos no programa Altas Horas, da TV Globo, e o feito deu o que falar nas redes sociais.

NAS TELAS II... Babu Santana é um dos atores da nova série da Globo chamada "O Jogo Que Mudou a História", que foi criada por José Júnior, do Afroreggae. Vários ex-jogadores de futebol também foram escalados para atuar no projeto, como mostra o colunista de Splash Fefito.

***

DIVERSIDADE... Gil, Ludmilla e Jojo Todynho foram algumas das celebridades que marcaram presença na Parada do Orgulho LGBT+, em São Paulo (SP), que reuniu cerca de 4 milhões de pessoas, segundo os organizadores. Veja algumas fotos!

***

DANDO A LETRA

O escritor Jeferson Tenório, vencedor do Jabuti de melhor romance em 2021 - Carlos Macedo/Divulgação - Carlos Macedo/Divulgação
O escritor Jeferson Tenório, vencedor do Jabuti de melhor romance em 2021
Imagem: Carlos Macedo/Divulgação

Pululam nas redes sociais, nos muros das ruas ou em memes a expressão "Fogo nos racistas" o que tem gerado argumentos equivocados do que de fato significa a frase. Ainda que muitos acreditem, ou por desconhecimento ou por má fé, que a frase é literal, é preciso compreender a expressão para além do seu significado denotativo. Talvez precisemos mais de metáforas do que imaginamos. A metáfora nos salvará da barbárie e da ignorância.
Jeferson Tenório, escritor

Em Notícias, Jeferson Tenório reflete sobre como a expressão "fogo nos racistas" é entendida de forma literal pela branquitude.

Em Ecoa, Cátia Cipriano, psicóloga, diretora do Instituto de Referência Negra Peregum; André Moreira, psicólogo, professor de Psicologia Social e Patricia Toni, jornalista e coordenadora de comunicação da Uneafro Brasil refletem sobre por que ainda há dificuldade de ver o racismo como produtor de sofrimento.

Já em VivaBem, Victor Machado fala sobre como aproveitar a comilança das festas juninas sem preocupação.

***

PEGA A VISÃO

Especial de Esporte, Reconstruindo Everaldo. - UOL - UOL
Especial de Esporte, Reconstruindo Everaldo.
Imagem: UOL

"Ele era um operário que desarmava e se entregava. Tinha uma jogada que ele batizou como 'o bote'. Ele treinava sempre isso no Olímpico: colocava uma camiseta à frente no chão e dava um tipo de carrinho, mas precisava deslocar a camiseta sem levantar a grama [para aprender a roubar a bola]. Era um cumpridor das tarefas do Zagallo."
Luiz Fernando, 59 anos, sobrinho do ex-jogador da seleção Everaldo

No especial, Reconstruindo Everaldo, Esporte relembra a jornada do ex-jogador da seleção brasileira Everaldo Marques da Silva, que conquistou o tricampeonato mundial no México, em 1970. Craque esquecido no tempo e nas glórias, sua trajetória vitoriosa no futebol foi interrompida aos 30 anos de idade, em 27 de outubro de 1974, após um grave acidente automobilístico.

***

SELO PLURAL

Podcast Papo Preto 2022 - Arte/UOL - Arte/UOL
Podcast Papo Preto 2022
Imagem: Arte/UOL

A partir da origem etimológica da palavra religião, que significa religar, o músico baiano Marcola Bituca busca mostrar, com suas músicas, a importância de cada um se religar consigo mesmo, investigando suas próprias vidas. Neste episódio de Papo Preto, ele fala com o apresentador Yag Rodrigues sobre rap e religiosidade.