PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Afeganistão se aproxima do colapso, dizem Suécia e Paquistão

O Afeganistão entrou em crise após o Talibã retirar o governo apoiado pelo Ocidente do poder em agosto - Getty Images/iStockphoto
O Afeganistão entrou em crise após o Talibã retirar o governo apoiado pelo Ocidente do poder em agosto Imagem: Getty Images/iStockphoto

23/10/2021 15h32

DUBAI (Reuters) - O Afeganistão entrará em colapso em breve a menos que a comunidade internacional aja rapidamente, afirmaram ministros da Suécia e do Paquistão neste sábado (23).

O Afeganistão entrou em crise após o Talibã retirar o governo apoiado pelo Ocidente do poder em agosto, levando ao fim de bilhões de dólares em assistência à sua economia, que depende de auxílios.

"O país está à beira do colapso, e esse colapso está se aproximando com mais velocidade do que pensávamos", afirmou o ministro do Desenvolvimento da Suécia, Per Olsson Fridh, à Reuters, em Dubai.

Ele afirmou que a queda livre da economia pode criar um cenário do qual grupos terroristas se aproveitariam, mas que a Suécia não enviaria dinheiro por meio do Talibã, mas reforçaria suas contribuições humanitárias a grupos civis afegãos.

Muitos países e instituições multilaterais interromperam auxílios de desenvolvimentos, mas aumentaram suas assistências humanitárias desde agosto, relutando em legitimar o poder do Talibã.

O ministro da Informação do Paquistão, Fawad Chaudhry, depois disse à Reuters que lidar diretamente com o Talibã é a única maneira de impedir uma catástrofe humanitária e pediu que bilhões de dólares em ativos afegãos fossem descongelados em territórios estrangeiros.

"Nós vamos empurrar o Afeganistão ao caos ou vamos tentar estabilizar o país?", disse, em Dubai.

(Por Alexander Cornwell)

Internacional