PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

EUA põem 8.500 soldados em alerta em meio à tensão entre Ucrânia e Rússia

Estamos preparando os militares "em uma corda mais curta", explicou o assessor do Pentágono - Yasin Ozturk/Anadolu Agency via Getty Images
Estamos preparando os militares "em uma corda mais curta", explicou o assessor do Pentágono Imagem: Yasin Ozturk/Anadolu Agency via Getty Images

24/01/2022 18h44Atualizada em 24/01/2022 19h12

Os Estados Unidos colocaram nesta segunda-feira (24) cerca de 8.500 soldados em alerta para estarem prontos para serem enviados à Europa, se necessário, potencialmente em um prazo muito curto, no mais recente esforço para tranquilizar aliados da Otan nervosos diante de uma escalada militar russa perto da Ucrânia.

Embora a decisão não tenha reforçado o apoio dos EUA à Ucrânia, que não faz parte da aliança da Otan, ela destacou os crescentes preparativos da Otan para o que Washington e Kiev acreditam ser movimentos russos para reunir forças visando uma potencial invasão da Ucrânia.

O porta-voz do Pentágono John Kirby disse que a maior parte dos 8.500 soldados dos EUA estava sendo notificada de ordens de prontidão para que possam preencher as fileiras de uma força de resposta rápida da Otan, caso a aliança os convoque para o serviço.

Mas Kirby enfatizou que Austin também quer que um número não especificado de tropas "esteja pronto para quaisquer outras contingências também".

"O que está acontecendo agora é prepará-los em uma corda mais curta", disse Kirby em entrevista coletiva. "Hoje, não estamos falando sobre ordens de mobilização de tropas. Não temos ordens de mobilização."

A aliança descreve a Força de Resposta da Otan (NRF) como "uma força multinacional altamente pronta e tecnologicamente avançada, composta por componentes terrestres, aéreos, marítimos e Forças de Operações Especiais (SOF) que a aliança pode alocar rapidamente, sempre que necessário".

Internacional