PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Islandês recebe duplo transplante de braços em cirurgia inédita na França

Paciente aguardava doador desde 2017 - Reprodução/Instagram
Paciente aguardava doador desde 2017 Imagem: Reprodução/Instagram

15/01/2021 09h54

Uma equipe do hospital Edouard Herriot, em Lyon, no sudeste da França, realizou um duplo transplante de braços que está sendo apresentado como inédito no mundo por sua complexidade. O paciente é o islandês Felix Gretarsson, que aguardava um doador desde 2017.

A operação aconteceu na quarta-feira (13), mas só foi divulgada hoje. Segundo um comunicado do hospital, a cirurgia durou cerca de 15 horas e exigiu a mobilização de várias equipes médicas dos setores público e privado. No total, cerca de 50 pessoas participaram da intervenção, incluindo cirurgiões, assistentes, instrumentadores e pessoal de enfermagem.

O islandês Felix Gretarsson estava na fila do transplante há dez anos. Ele teve seus dois braços amputados depois de ser eletrocutado por uma linha de alta tensão no círculo polar, em 1998. Na época, o eletricista tinha 26 anos, era recém-casado e tinha uma criança pequena. Ele passou três meses em coma, sofreu várias intervenções cirúrgicas, incluindo um transplante de fígado.

Depois de se recuperar, Gretarsson passou a buscar informações na internet sobre transplante de membros superiores. Em 2007, ele descobriu o trabalho do professor francês Jean-Michel Dubernard, que se tornou internacionalmente conhecido após realizar o primeiro transplante bem-sucedido de mãos.

O islandês passou a acompanhar as ações do professor Dubernard e o encontrou quando ele esteve na capital da Islândia, Reykjavik, para participar de uma conferência. O eletricista telefonou a todos os hotéis da cidade até descobrir onde o médico estava hospedado. "Eu sou o candidato perfeito", argumentou o eletricista, "porque passei por um transplante de fígado e sigo um tratamento contra a rejeição de órgãos até o fim da vida", contou. O professor Dubernard aceitou o desafio de realizar, no futuro, um duplo transplante no islandês.

Em 2011, o eletricista decidiu se instalar em Lyon. Mas foram anos de espera até conseguir realizar todos os preparativos administrativos, físicos e, sobretudo, encontrar um doador compatível para a cirurgia.

Encerrado o duplo transplante, na quarta-feira, Gretarsson foi transferido para a UTI. O boletim médico emitido ontem informou que seu estado de saúde era estável. Serão necessários vários dias de observação para poder concluir se este raro duplo transplante de braços foi bem-sucedido.

Internacional