PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Alves


UBES e UNE apontam vazamento do Sisu e vão entrar na Justiça contra o MEC

Uma das listas visualizadas hoje no site do Sisu  - Reprodução de internet
Uma das listas visualizadas hoje no site do Sisu Imagem: Reprodução de internet
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

28/01/2020 13h12

Apesar da decisão judicial que suspendeu a divulgação dos resultados do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), candidatos de vários estados relatam que tiveram acesso às suas colocações na manhã de hoje. A denúncia é da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), que vai entrar na Justiça com a União Nacional dos Estudantes (UNE) para pedir medidas contra o Ministério da Educação. O ministério, por sua vez, alega que as listas do Sisu visualizadas nesta terça-feira não representam o resultado oficial, "Em razão de decisão judicial, a divulgação do resultado final continua suspensa", informa a pasta.

A decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região de sustar a divulgação do resultado se baseia no argumento da Defensoria Pública da União, de que, apesar de o MEC ter corrigido cerca de 6 mil notas erradas do último Enem, o resultado final depende da ponderação dos acertos de questões fáceis, médias ou difíceis.

Mesmo assim, a UBES recebeu vários depoimentos de que a relação ficou visível no site do Sisu por alguns minutos e depois foi retirada do ar.. "Quando nós pensávamos que o descaso tinha acabado, parece que ele só piora", lamenta Pedro Gorki, presidente da UBES. "Além de Weintraub e o ministério desrespeitarem os estudantes, eles também desrespeitam a Justiça. Nós, da UBES, da UNE e do movimento estudantil estamos fazendo denúncia de que foi desrespeitada uma medida judicial e pedimos as medidas cabíveis para isso".

Para Gorki, a possibilidade de a relação divulgada não ser a verdadeira, como alega o MEC, agrava a situação. "Se foi um resultado não oficial é até pior, é brincar com o futuro dos universitários. Isso reforça ainda mais a ação que estamos movendo por danos morais e constrangimento dos candidatos"

A UBES recebeu várias reproduções de resultados que comprovariam a divulgação indevida do resultado. Um dos documentos informa a "Lista de selecionados na chamada regular" no curso de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco. A data no cabeçalho é 28/01/2020 e os números de inscrição dos 80 estudantes relacionados começam pelo número 19, o que comprovaria que todos se inscreveram no ano passado.

O assunto chegou aos trend topics do Twitter, com muitos estudantes fazendo brincadeiras e pedindo ao MEC que divulgue novamente o resultado.

Chico Alves