PUBLICIDADE
Topo

No Rio, primeiras-damas também são acusadas de corrupção

Helena Witzel, Rosinha Garotinho, Adriana Ancelmo - Divulgação
Helena Witzel, Rosinha Garotinho, Adriana Ancelmo Imagem: Divulgação
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

28/08/2020 16h14

No Rio de Janeiro, não é só a cadeira de governador que parece atrair encrencas. Cinco chefes do Executivo fluminense já passaram pela prisão e Wilson Witzel é mais um a correr esse risco. Mas as primeiras-damas também não passam em branco. Já são três acusadas de corrupção.

Em 2016, a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo foi parar atrás das grades e em 2017 foi a vez de outra ex-primeira dama, Rosinha Garotinho, que também foi chefe do Executivo.

Agora, Helena Witzel é acusada de tramoia, já que, que segundo a Procuradoria-Geral da República, usava o escritório de advocacia para receber dinheiro desviado de quatro contratos simulados, no valor de R$ 500 mil.

Analine é o nome da esposa de Claudio Castro, o vice que vai para o lugar de Witzel.

Deve estar preocupada com esse retrospecto.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.