PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Joice: "Frouxidão no PSL rendeu Bia Kicis na CCJ, uma vergonha nacional"

Deputada Joice Hasselmann - Divulgação
Deputada Joice Hasselmann Imagem: Divulgação
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

11/03/2021 16h37

O acordo que o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), selou com a ala bolsonarista do partido e permitiu à deputada Bia Kicis (DF) assumir a presidência da Comissão de Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara causou um terremoto na legenda. O tamanho do estrago pôde ser medido pela discussão exaltada que Bivar travou em um aplicativo de mensagens com alguns correligionários, em especial a deputada Joice Hasselmann (SP).

O entrevero foi revelado pelo site Poder360. Em um trecho, Joice diz que "o partido baixa a cabeça e a espinha até mostrar a bunda para os bolsonaristas". Em resposta, Bivar alegou que a legenda "não sai de biquíni por aí mostrando a bunda para ninguém", referindo-se a um perfil mantido pela deputada nas redes sociais em que ela dá dicas de saúde e beleza. "O partido já está sem roupa", devolveu a parlamentar.

Em entrevista à coluna, Joice Hasselmann explica que a inércia da Executiva nacional do PSL em expulsar parlamentares como Carla Zambelli e Bia Kicis, entre outros, permitiu à ala bolsonarista assumir o comando da legenda na Câmara. Como consequência, diz ela, o Parlamento está passando vergonha por ter "uma figura como essa na principal comissão da Casa".

A deputada critica também a indicação de Zambelli para a Comissão de Meio Ambiente. "Já imaginou quando forem discutir projetos para a Amazônia, quando forem discutir queimadas, o que essa maluca vai fazer?", questiona.

No atual quadro, Joice não descarta, inclusive, que o próprio presidente Jair Bolsonaro volte para o partido, de onde saiu em novembro de 2019.

UOL - O que levou a essa discussão sua com o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar?

Joice Hasselmann - Internamente, desde que Bolsonaro tentou roubar a liderança do partido, enfiando Eduardo Bolsonaro goela abaixo, o que me levou a sair da liderança do governo, tenho cobrado do Bivar e da Executiva o andamento das suspensões e expulsões dessas pessoas da legenda.

Eles achincalharam o partido, xingavam o PSL diariamente nas redes sociais, cometeram todo tipo de infidelidade partidária. Qualquer partido sério teria expulsado por muito menos.

A legenda definiu que o PSL seria um partido liberal, que é independente, não um partido que fica ali puxando o saco do presidente da República, servindo de tapete pra ele. Várias representações foram feitas por nós de São Paulo, pedindo suspensão e até expulsão de vários deles.

O que aconteceu com esses pedidos de expulsão?

Queiram ou não, o PSL é grande agora, mas é um partido que tem dono. É o Bivar. O que aconteceu é que o partido sentou em cima e ficou enrolando, dando a essa ala bolsonarista a oportunidade de fazer o que eles estão fazendo agora, roubar o partido de novo.

Foi o que eu impedi lá atrás, mas eles conseguiram agora, por inércia do partido. O que passa na cabeça do presidente da Executiva ao deixar o câncer crescer dentro do partido, dormir com o inimigo todo dia? O Bivar e o Rueda (Antonio Rueda, vice-presidente da legenda) usavam a desculpa do medo de perder fundo partidário e tempo de TV.

Isso engana só quem não conhece a lei. Quando a expulsão é por justa causa, não há possibilidade de isso acontecer.

Quais as consequências disso que a sra. chama de inércia do partido?

Olha em que resultou a frouxidão do partido em expulsar esses loucos: Bia Kicis na CCJ. Ela sequer foi eleita pelo PSL, atacou o partido o tempo todo e não foi expulsa. Não trouxe um centavo de fundo.

Olha como o partido foi irresponsável, tanto conosco que defendemos o PSL quanto com o país. É deles a responsabilidade de termos Bia Kicis na CCJ e a maluca da Carla Zambelli na Comissão de Meio Ambiente.

Já imaginou quando forem discutir projetos para a Amazônia, quando forem discutir queimadas, o que essa maluca vai fazer? A falta de pulso que aconteceu dentro do partido teve reflexos nefastos para o Brasil. Se a Bia Kicis tivesse sido expulsa não iria assumir nunca, porque a vaga é do PSL.

A CCJ é a comissão mais importante da Câmara. Que tipo de estrago a sra. acha que Bia Kicis pode causar na presidência?

A primeira consequência é a vergonha nacional. O Parlamento está passando vergonha por ter uma figura como essa na principal comissão da Casa.

A segunda consequência é que a partir de hoje Jair Bolsonaro pode fazer o que quiser, roubar, mandar matar, rasgar a Constituição, que o pedido de impeachment não passa, porque na CCJ a Bia vai sentar em cima.

Ela só está lá porque o presidente Bolsonaro pediu pelo nome dela pessoalmente ao Arthur Lira. Foi um acordo feito para segurar qualquer tipo de processo, seja de impeachment ou algo assim.

Quando a gente fala em constitucionalidade, como a gente pode confiar em uma pessoa que já defendeu até Ato Institucional? É uma coisa de louco. A Câmara se transforma a partir de agora em chacota mundial.

Como fica a sua situação no PSL a partir de agora?

Já disse a Bivar que não vou puxar o saco e não vou dizer a ele o que ele quer ouvir. Falei que quero um partido forte e decente, e não tem como isso estar ligado ao projeto de Bolsonaro.

Se o PSL como partido tomar a mesma direção que tomou na Câmara, se esfregar no Bolsonaro, não há outro caminho, tenho que sair. Não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Apoiei esse homem porque acreditei na honestidade dele e vi que de honesto ele não tem nada.

Bivar virou chacota entre bolsonaristas e entregou a bancada que o apoiava. Por isso, minha última mensagem ao sair do grupo foi "chega de frouxidão". Os premiados foram os que atacaram o partido o tempo todo. Hoje, o PSL na Câmara é comandado pela escória da política.

Do jeito que a coisa está andando e com essa falta de pulso, não me assustaria se Bolsonaro voltasse de braços abertos para o PSL, porque o partido tem dinheiro de fundo e tempo de TV e é só nisso que Bolsonaro pensa. Ou o partido se firma como independente ou vai continuar servindo de barriga de aluguel.

Como recebeu o comentário de Bivar sobre suas fotos de biquíni?

Ele se mostrou um grandíssimo machista do século 18. No meio de uma discussão política, de posicionamento partidário, ele me solta que pelo menos o partido não está de biquini se mostrando.

Respondi que de fato não está de biquíni, está nu. É asim que os políticos sérios têm enxergado o PSL. Foi grosseiro, machista e para alguém que se diz liberal me pareceu um senhorzinho feudal do século 18.