PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Candidatura do PT a governador do Rio pode ter Cesar Maia como vice

13.abr.2018 - César Maia, vereador no Rio de Janeiro pelo Democratas - Ricardo Borges/Folhapress
13.abr.2018 - César Maia, vereador no Rio de Janeiro pelo Democratas Imagem: Ricardo Borges/Folhapress
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

17/01/2022 04h00

A cada dia que passa são mais fortes os rumores de que a disputa pelo posto de governador do Rio terá em breve emoções inesperadas. Até pouco tempo, era dado como certo o apoio do ex-presidente Lula à candidatura do deputado Marcelo Freixo, que deixou o PSOL pelo PSB para viabilizar sua postulação ao Palácio Guanabara. Nas últimas semanas, porém, o nome do presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), o petista André Ceciliano, começou a circular também como possível candidato a governador.

Um dos que incentivam Ceciliano a seguir esse caminho é o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD) — os dois almoçaram na semana passada. Caso o petista aceite a empreitada, Paes deixaria de lado o nome de Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, outro que tem o Guanabara como alvo.

Nessa costura feita por várias mãos, um dos nomes sugeridos ao presidente da Alerj para integrar a chapa como vice é o do ex-prefeito e atual vereador Cesar Maia (DEM). Recentemente, Maia declarou que Ceciliano poderia ser um bom governador.

Até agora, o presidente da Alerj não disse a que pretende se candidatar nessa eleição. "Minha prioridade é eleger Lula", costuma repetir.

Uma chapa petista ao governo do estado seria para Marcelo Freixo uma enorme decepção, já que ele conta com o apoio de Lula para se eleger. O pessebista conversa frequentemente com a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, e com o ex-ministro Fernando Haddad. Além disso, os compromissos de agenda da pré-candidatura de Freixo normalmente contam com a presença de vários parlamentares do partido no Rio.

A decisão desse imbroglio não vai demorar. E quem vai bater o martelo é o próprio Lula.