PUBLICIDADE
Topo

Presidente de CPI quer reconvocar testemunha que atacou jornalista da Folha

Hans River do Rio Nascimento durante depoimento à CPMI das fake news - Jane de Araújo/Agência Senado
Hans River do Rio Nascimento durante depoimento à CPMI das fake news Imagem: Jane de Araújo/Agência Senado
Constança Rezende

É colunista do UOL em Brasília. Passou pelas redações do Estadão no Rio de Janeiro, O DIA e Jornal do Commercio.

Colunista do UOL

13/02/2020 13h10

O presidente da CPMI das Fake News no Congresso, senador Angelo Coronel (PSD-BA), pediu um novo depoimento do ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows Hans River do Rio Nascimento, que insultou a repórter da Folha Patrícia Campos Mello, na última terça-feira. De acordo com o pedido feito nesta quinta-feira, o parlamentar quer que Nascimento esclareça as contradições de seu depoimento com as provas mostradas pela Folha.

O senador ressalta que o depoente confrontou informações a respeito de um suposto esquema de favorecimento de candidaturas nas eleições de 2018 por meio do envio em massa de mensagens via Whatsapp que seriam, segundo a reportagem, conteúdos de desinformação e Fake News.

Ainda no mesmo depoimento, Nascimento afirmou não ter enviado o material que deu base à reportagem e afirmou que a jornalista se insinuou para o depoente, em troca de informações. Depois disso, a Folha publicou mais uma reportagem, com provas de que a testemunha havia mentido.

"Com o intuito de esclarecer os fatos, acreditamos ser fundamental uma nova vinda do depoente à esta CPMI para esclarecer os fatos e comprovar aquilo já dito perante à comissão. Como comissão de inquérito, a CPMI das Fake News precisa zelar pelas informações prestadas por aqueles que são convocados ou convidados, bem como precisa ter fundamentos consistentes para a elaboração de um relatório final imparcial e sólido", alegou.

O pedido ainda precisa ser aprovado pela maioria dos membros da comissão, que só devem se reunir para discutir a questão após o Carnaval.

Nesta quinta, o UOL revelou que Hans River gravou um vídeo e foi chamado de herói pelo o site Movimento Avança Brasil, plataforma que apoia o presidente Jair Bolsonaro (PSL), após prestar o depoimento à CPMI. Ele foi abordado ainda no corredor do Senado. "Para mim, você foi imparcial, você falou a verdade. A nossa página é uma página que apoia o governo federal, mas nós queremos a verdade", disse o interlocutor.

Testemunha que insultou repórter é chamado de herói por site bolsonarista

UOL Notícias