PUBLICIDADE
Topo

Damares pede à população que confie em ministro Mandetta e evite cultos

Damares Alves em entrevista no estúdio UOL Folha de Brasília - Kleyton Amorim / UOL
Damares Alves em entrevista no estúdio UOL Folha de Brasília Imagem: Kleyton Amorim / UOL
Constança Rezende

É colunista do UOL em Brasília. Passou pelas redações do Estadão no Rio de Janeiro, O DIA e Jornal do Commercio.

Colunista do UOL

18/03/2020 13h20

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, elogiou o trabalho do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e pediu para que a população confie nas recomendações da pasta sobre o coronavírus.

Ao UOL, Damares disse que o ministro Mandetta é sensato e ponderado, "exatamente o perfil que a gente precisava agora".

"O Mandetta é uma figura calma e centrada, e essa postura traz muito equilíbrio para não termos uma outra consequência que é o pânico. Acompanho ele diariamente e sei que ele não está dormindo. O ministro está trabalhando com sua equipe, com muita sensatez, nesse momento", disse.

A ministra disse ainda que Mandetta é um médico experiente, de uma família de médicos, e muito bem avaliado também dentro da Câmara dos Deputados.

"Ele é um ministro da Saúde que, num primeiro momento, arrumou a casa. Temos tudo para acreditar no ministro Mandetta", afirmou, sem mencionar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A ministra afirmou que o importante agora é que os brasileiros se concentrem nas orientações do ministério, que é "forte, lotado de sanitaristas e especialistas". Ela ainda defendeu que a população deve ter a pasta como fonte de informações para se afastar de fake news.

"Meu apelo é para que tenhamos o ministério como a nossa fonte de informação. Agora, vão aparecer um monte de especialistas, cada um falando uma coisa. O Brasil tomou medidas preventivas, no início dos casos. Acho que já saímos na frente e não vamos ter tantos problemas porque estamos tomando as medidas na hora certa", disse.

Ela disse que também pediu a líderes religiosos que suspendam seus cultos e os transmitam online.

"Mas, se ainda sim, quiserem fazer, que seja com um número pequeno de pessoas, obedecendo a distância entre os bancos e, se puderem, que façam ao ar livre, em estacionamentos. Estamos na fase de orientação/recomendação, ainda não chegamos na fase determinação", explicou.