PUBLICIDADE
Topo

Fiocruz: 94% das cidades com mais de 100 mil habitantes já registram Covid

                                 Pandemia do coronavírus deixa mortos em todo o mundo                              -                                 FOTO: AFP
Pandemia do coronavírus deixa mortos em todo o mundo Imagem: FOTO: AFP
Constança Rezende

É colunista do UOL em Brasília. Passou pelas redações do Estadão no Rio de Janeiro, O DIA e Jornal do Commercio.

Colunista do UOL

21/04/2020 17h07

Um estudo realizado por cientistas da Fiocruz concluiu que, entre as cidades que têm mais de 100 mil habitantes, 94% já apresentam casos do novo coronavírus no Brasil. Todos os municípios com mais de 500 mil habitantes já têm casos da doença e, os que têm população entre 50 mil e 100 mil habitantes, são 60%.

Os dados foram analisados a partir do sistema Monitora Covid, que estuda o avanço da pandemia, lançado pelo Laboratório de Informação em Saúde da Fiocruz.

Uma das conclusões da pesquisa é que o número de municípios com a presença de casos já alcançou os locais mais remotos do país.

Segundo a fundação, as cidades menores são as mais preocupantes porque não apresentam suporte de saúde, ou prestam serviço a municípios ainda menores, sem infraestrutura de saúde.

Municípios que já apresentaram casos de covid-19 desde o início da epidemia no país, no dia 26 de fevereiro de 2020. Em todas as regiões e todos os estados da federação são observados casos e transmissão de forma comunitária da doença. - Fiocruz - Fiocruz
Municípios que já apresentaram casos de covid-19 desde o início da epidemia no país, no dia 26 de fevereiro
Imagem: Fiocruz

"O tratamento dessas populações vai depender dos municípios maiores que, por sua vez, também lidam com os casos de suas próprias populações", diz o estudo.

Já os municípios que ainda estão sem casos e não adotam medidas de combate, como o isolamento social e fechamento do comércio, podem estar contribuindo para aumentar a velocidade de contaminação, uma vez que atraem populações de municípios maiores à procura de serviços, segundo o órgão.

A Fiocruz também verificou que a pandemia segue em alto crescimento no número de casos em estados como Rondônia, Piauí, Alagoas, Pará, Amapá, Maranhão e Pernambuco.

Porém, entre as semanas de 29 de março a 4 de abril, 5 a 11 de abril e 12 a 16 de abril, houve uma desaceleração em estados das regiões Sudeste e Sul.

Segundo a fundação, o decréscimo pode ter relação com as medidas de isolamento social, comparando com outros países que adotaram comportamento similar.