PUBLICIDADE
Topo

José Luiz Portella

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Kassio Nunes Marques deve sofrer impeachment, DATA VÊNIA!

Kássio Nunes Marques com máscara pendurada na orelha - Edilson Rodrigues/Agência Senado
Kássio Nunes Marques com máscara pendurada na orelha Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado
só para assinantes
José Luiz Portella

Sobre o Autor - Pós-doutorando em sociologia pela FFLCH-USP. Doutor em ciências- área história econômica Doutor em história econômica FFLCH-USP Engenheiro civil -especializado em gestão, orçamento e planejamento urbano; ocupou cargos públicos nos governos federal, estadual e municipal pesquisa medição do impacto das políticas públicas.

Colunista do UOL

19/06/2022 09h06

Kassio Nunes Marques deve ser o primeiro ministro do STF atual a ser punido.

Ele pode satisfazer a sanha de Bolsonaro: haver um impeachment de ministro do STF.

Segundo Rodrigo Rangel, do site Metrópoles, Kassio fez um bate-e-volta para para assistir à final da Champions League, no jatinho do advogado Vinícius Peixoto Gonçalves, que, além de tudo, atua em processos que estão em andamento no STF.

Só viajar no jatinho de um advogado já é grave. No jato de advogado que atua no STF, em andamento, é escândalo, a ser punido sumariamente com impeachment.

Kassio oferta a Bolsonaro mais uma má notícia. O indicado macula a indicação.

Em qualquer país do mundo civilizado, Kassio seria extirpado imediatamente. Com vergonha nacional.

Sendo verdade a notícia, e tudo indica que sim, Kassio deprecia ainda mais o STF, que já não figura entre os dez mais do orgulho nacional, STF que tem cometido ações, por vários ministros, bem contestáveis.

Marques agrava a crise e aumenta a percepção de desconforto.

Importante, ver agora, como ministros que defendem a Democracia, a Justiça, a igualdade de direitos e deveres, como Alexandre Moraes, Barroso e Fachin, que têm sido protagonistas altaneiros, vão se posicionar diante desse ato do colega. Vão enterrar o rosto como avestruz?

Como já disse aqui, a psicóloga Ana Lúcia Salmeirão, que estuda o assunto com excelência, afirma que a impunidade que vige no Brasil é um dos maiores fatores a nos impulsionar a esse caos moral e ético que vivemos.

Tudo o que é feito de absurdo, como o turismo futebolístico de Nunes Marques, é logo acatado e "normalizado". Tudo é aceito e ajeitado a favor dos infratores.

Ana Lúcia fala muito em país de "DESCONDENADOS", pessoas que cometeram crimes e depois são"absolvidas", pelas benesses que a nossa sociedade concede e a Justiça referenda, ou por falhas processuais, com prazer, pelas egrégias Cortes.

Não sendo um jovem intrépido, nem bobo, nem ingênuo, será que Marqes crê que o advogado que lhe deu carona, e, possivelmente bancou a jornada esportiva, o fez pela beleza dos "seus olhos" (dele, Marques)?

Kassio com K, acredita que esse almoço seja grátis? E a carona no jatinho também? Foi tudo por respeito e amor ao magistrado indicado por Bolsonaro?

Suponho que não.

Então, só resta o impeachment, no caso.

Almoço grátis, hoje, não tem nem no Bom Prato. Moradores de rua precisam entrar na fila dos CTAs. Marques enteou no tapete vermelho do jatinho privado, que parece ser de primeira classe.

O ministro, além de toldar o STF, atinge, de forma negativa, a Justiça toda, que também não possui, como o STF em particular, uma imagem profícua na população, nem a credibilidade que deveria ter, para ser o Poder que nos assegura a vida justa, harmônica e civilizada.

O Poder Judiciário é o principal esteio da democracia e do Estado de Direito nos países. E, a forma como se comporta, é que explicita como é o país.

Conforme Nunes Marques, estamos bem mal na fita.

Não há qualquer justificativa para o que ele fez, não há fatores para legítima defesa. Ele o fez, sendo verdade, por legítima defesa do Direito de Ter um Privilégio.

Que passa mais um péssimo exemplo para o Brasil, um manancial de guetos e privilégios, como juízes que têm auxílio-moradia, tendo imóvel onde trabalham, e, pior, no Leblon, como em alguns casos.

Deputado que tem "imóvel em Brasília" para comer gente.

Aquela catilinária moralista, aquele discurso contra o ódio, feito com uma feição de rosto com raiva, aquele moralismo eleitoral perderão a veracidade, se o ato de Nunes Marques for "normalizado".

Aquelas pregações prolixas, fornecendo lições de moral, repletos de termos jurídicos elevados, se esvairão, se Nunes Marques quedar no cargo, impune e perdoado como um menino, que veio à escola sem uniforme.

Está na hora do presidente Rodrigo Pacheco, um amante do "politicamente correto", descer do muro e aceitar o pedido de impeachment, que precisa ser apresentado.

Pacheco, siga o capitão Bolsonaro ! Justiça volver!

Comece por Kassio Nunes Marques,

DATA VÊNIA!