PUBLICIDADE
Topo

José Luiz Portella

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dizer que privatizando Petrobras preço vai baixar é desonestidade grave

Fachada da sede da Petrobras - Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo
Fachada da sede da Petrobras Imagem: Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo
só para assinantes
José Luiz Portella

Sobre o Autor - Pós-doutorando em sociologia pela FFLCH-USP. Doutor em ciências- área história econômica Doutor em história econômica FFLCH-USP Engenheiro civil -especializado em gestão, orçamento e planejamento urbano; ocupou cargos públicos nos governos federal, estadual e municipal pesquisa medição do impacto das políticas públicas.

Colunista do UOL

17/06/2022 17h00

Há muito mais em jogo do que baixar o preço do combustível na marra, pelos liberais de quermesse, de Paulo Guedes.

Querem fazer um jogo, onde a Petrobras pareça como a vilã, para tentar privatizar.

Quem quer comprar a Petrobras não é uma empresa de esquina, é uma grande potência na área, e está atuando em conjunto com o governo federal, para fragilizar a Petrobras e embarcar deputados espertos ou sem inteligência na balada da privatização.

Se privatizar, você crê que os novos donos privados vão efetuar política de preços amena, boazinha, porque o país está em dificuldade?

Isso é muito mais do que uma estultice, é malandragem mesmo. Das piores.

Supor que os acionistas privados, que vierem a comprar a Petrobras, serão menos gananciosos, mais gentis que os atuais, onde a maior parte das ações está com o governo, é ofender a inteligência de todos nós é tentar dar um grande golpe. É desonestidade mesmo.

A melhor maneira no momento para resolver a questão é fornecer renda transitória para a população pobre mais afetada e para os caminhoneiros.

A segunda melhor maneira é criar um Fundo de Estabilização, cuja lei já está tramitando e não é aprovada.

A terceira, seria o governo, o maior acionista que ganha com o aumento e recebe dividendos, suportar a conta subsidiando a quem precisa.

Não é boa forma, mas se sobrepõe a privatizar, que além de não baixar o preço, entrega um setor essencial para a iniciativa privada, provavelmente estrangeira. Um crime de lesa-pátria.

Privatização não resolve aumento de preço por Paridade Internacional.

É uma balela, com que o governo Bolsonaro está impregnando a sociedade, para ter uma desculpa pelo descalabro que causou na Petrobras, assim como o PT, e vender para um grande grupo internacional, se colar.

Bolsonaro já trocou duas vezes o presidente da Petrobras e vai para a terceira. E, trocou conselheiros. Tem o controle da maioria.

Se quisesse ter mudado a política de preço, já o teria feito.

Por que não o fez?

Bolsonaro ou é covarde, como Lula diz, ou é malandro, como todos percebem.

A segunda hipótese é mais provável.

Estão querendo alienar um patrimônio essencial do Brasil

Não creia nessas mentiras dos comentaristas de Bolsonaro.

Eles estão perdidos, diante da derrota iminente. Precisam criar a narrativa para contestar a eleição.

Só não perca o foco, para não entregar o Brasil ao PT, sem compromisso. Lula vai ganhar, precisa ter freios e contrapesos.

Alckmin é só um oportunista, que não vai segurar nada.

A Petrobras está sendo feita vilã, para o interesse do governo. Via Centrão.

É só mais uma jogada, que sairá mais cara para o Brasil do que o prejuízo dado pelo PT, com as ilicitudes reconhecidas.

Os adeptos da privatização criaram o "capitalismo bonzinho", Mr. Oil vai orar por nós. São cínicos.