PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Telejornais exageram e exibem dezenas de vezes a mesma imagem de acidente

Momento em que pedra se desprende e cai de cânion em Capitólio (MG) - Reprodução/Twitter
Momento em que pedra se desprende e cai de cânion em Capitólio (MG) Imagem: Reprodução/Twitter
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

09/01/2022 12h00Atualizada em 09/01/2022 13h36

Vídeos caseiros, feitos por turistas, foram essenciais na compreensão do acidente ocorrido na cidade turística de Capitólio (MG) na tarde de sábado (08). São vários os registros que documentam o desabamento do paredão de rochas e ajudam a dar uma dimensão da tragédia.

Um vídeo, em particular, o que mostra a queda de uma rocha imensa sobre duas embarcações, foi reproduzido à exaustão em todas os canais, de TV aberta e por assinatura, ao longo do sábado. É um vídeo assustador, ainda mais por captar os gritos de quem está testemunhando a tragédia.

Nos telejornais noturnos, este vídeo agoniante foi exibido de forma sucessiva, exagerada, pelo "Jornal da Band" (40 vezes) e pelo "Jornal Nacional" (29 vezes). "SBT Brasil" (8 vezes) e "Jornal da Record" (7 vezes) foram mais comedidos.

O JN chegou a trazer o depoimento de uma sobrevivente que fez alusão à dramaticidade das imagens: "Eu não conseguiria ver os vídeos agora", disse. "Porque o que aconteceu foi real demais".

Tanto a Band quanto a Globo usaram o vídeo como recurso para "cobrir" os relatos dos jornalistas enviados à região do acidente. Enquanto o repórter Tiago Carvalho falava no JN, o telejornal repetiu 12 vezes a imagem da queda da rocha sobre as duas lanchas.

O "Jornal da Band" ainda tornou a imagem mais dramática ao inserir, graficamente, dois círculos para chamar a atenção de duas pessoas que foram arremessadas de uma das lanchas pelo impacto da queda da rocha.