PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ao pagar "influencer" para promover novela, Globo abre precedente arriscado

Christian (Cauã Reymond) em "Um Lugar ao Sol"  - Reprodução / Internet
Christian (Cauã Reymond) em "Um Lugar ao Sol" Imagem: Reprodução / Internet
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

19/01/2022 17h47

A Globo confirmou nesta quarta-feira (19) que eventualmente paga para influenciadores digitais promoverem novelas em seus perfis nas redes sociais. O reconhecimento veio em resposta a um questionamento do site Notícias da TV.

"A divulgação de qualquer produto da TV Globo, desde realities, novelas, séries ou programas de variedades, atende a estratégias individuais, e considerando os mais diversos formatos de mídias e as evoluções de uso desses formatos", disse a emissora.

E completou: "As novelas seguem sendo conteúdo orgânico para os influenciadores, mas isso não impede que, em alguns momentos, atendendo a objetivos estratégicos e específicos de marketing, as relações com alguns influenciadores sejam impulsionadas".

Quando fala em "conteúdo orgânico", a Globo está se referindo a publicações feitas de forma espontânea por usuários. E quando se refere a "impulsionados", está dizendo que são publicações feitas mediante pagamento da emissora ao influenciador, ou seja, não espontâneas.

O caso que motivou o questionamento do site foi uma publicação no Instagram de um perfil chamado Gina Indelicada, com 10,2 milhões de seguidores. "Tô ansiosa pelo BBB, mas antes quero ver o bafão que vai ser o capítulo de hoje da novela!", escreveu. "Será que o golpe de Christiano e Túlio vai ser revelado dessa vez? Quero só ver como eles vão se explicar! E coladinho com a novela Um Lugar ao Sol tem a estreia do BBB22. Todo mundo preparado? #publicidade"

O aviso ao final de que se trata de publicidade está de acordo com as exigências do Código de Defesa do Consumidor e do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar). Trata-se de um gesto de transparência obrigatório, mas que nem sempre é respeitado ou cumprido por influenciadores digitais.

Além deste problema, também acho que a Globo está pisando num terreno complexo e perigoso. Pagando para alguns influenciadores, arrisca a colocar em dúvida qualquer publicação elogiosa feita de forma espontânea. Não parece sem propósito que leitores comecem a desconfiar que comentários favoráveis a um ou outro programa sejam fruto de "impulsionamento".