PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Marcius Melhem quer intimidar testemunhas, diz Danilo Gentili

Marcius Melhem (Divulgação / Globo) - Reprodução / Internet
Marcius Melhem (Divulgação / Globo) Imagem: Reprodução / Internet
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

25/02/2021 10h13

O humorista Danilo Gentili disse à Justiça que o processo movido pelo ex-diretor da Globo Marcius Melhem tem como objetivo, além de silenciá-lo, inibir indiretamente testemunhas e eventuais vítimas de assédio sexual.

Após ser acusado de assédio por atrizes, Melhem pediu à Justiça que o humorista seja condenado a pagar R$ 50 mil de indenização em razão de críticas e ironias feitas por Gentili nas redes sociais.

De acordo com o humorista, Melhem quer intimidar as pessoas, inibindo-as de fazer comentários sobre as acusações, "sob pena de ser o próximo a ser processado, o que, independentemente do resultado do processo, gera despesas consideráveis com custas judiciais e honorários".

O apresentador do SBT afirma que, nos seus comentários, em nenhum momento acusou Melhem de ter cometido algum crime, limitando-se a fazer piadas a partir de notícias e fatos de conhecimento público. "Trata-se de inquestionável exercício da liberdade de expressão", afirmou.

Gentili citou na defesa apresentada à Justiça que o próprio ex-diretor da Globo, em 2018, foi ao Supremo Tribunal Federal defender que humoristas pudessem ridicularizar candidatos no período de eleições como forma de criticá-los e suscitar debates.

"Não pode Melhem, agora que reportagens sobre ele estão sendo veiculadas na imprensa, utilizar do processo judicial para suprimir a liberdade de outros humoristas de fazerem o que ele fez durante décadas: humor irônico e crítico com base em notícias veiculadas na imprensa."

O ex-diretor da Globo diz estar sofrendo um linchamento público. Ele nega ter cometido crimes e afirma que Gentili, "com base exclusivamente em matérias de imprensa e presumindo como comprovado o suposto assédio", passou a lhe fazer ofensas com intuito de prejudicar sua imagem e honra.

"Mediante a simples leitura das publicações em suas redes sociais, todas feitas para milhões de seguidores, percebe-se que Gentili abusou, e muito, do seu direito à liberdade de expressão e informação", disse Melhem à Justiça, por meio dos seus advogados.

Leia alguns posts publicados por Gentili:

"Em breve, Marcius Melhem estrará seu novo programa: Porra total".

"Eu sempre achei que o Marcus Melhem forçava. Mas eu achava que era só no humor".

"Uma coisa não podemos negar. O Marcius Melhem foi um grande líder na Globo. Daqueles que não tem medo de botar o pau na mesa".

O caso ainda não foi julgado, mas a juíza Carolina de Figueiredo Nogueira negou liminar por meio da qual Melhem pediu que os posts fossem removidos.