PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Globo erra, chama palmeirense de criminoso e é condenada a pagar R$ 150 mil

Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

13/06/2022 10h40

A Rede Globo foi condenada pela Justiça paulista a pagar uma indenização de R$ 150 mil a um torcedor de futebol que teve sua imagem divulgada injustamente numa reportagem como sendo o responsável por um crime.

No dia 12 de fevereiro, R.M. foi detido pela polícia após uma discussão no entorno do Allianz Parque, na Barra Funda, em São Paulo. Palmeirense, tinha ido ao local para acompanhar pela televisão, com outros torcedores, a final do campeonato mundial de clubes da sua equipe contra o Chelsea, que ocorria em Abu Dhabi. Por conta da discussão, acabou ficando das 17 horas às 20 horas na delegacia, quando foi liberado.

No dia 16 de fevereiro, no entanto, a sua imagem foi veiculada em uma reportagem exibida pelo programa "Bom Dia São Paulo" como sendo o responsável por um roubo que ocorrera no dia anterior no Aeroporto de Congonhas. Mas a informação estava errada. R.M. não teve envolvimento algum no episódio.

A fotografia do momento em que ele foi detido no dia do jogo foi usada, por engano, para ilustrar a reportagem sobre o roubo, que chamou o torcedor de "criminoso".

"Não há qualquer dúvida de que o autor [do processo] não era o agente do roubo no Aeroporto de Congonhas, muito embora, por equívoco injustificado, sua imagem tenha sido veiculada como tal", afirmou a juíza Thania Cardin.

O torcedor queria que a indenização fosse arbitrada em R$ 1 milhão, mas a juíza considerou o valor excessivo. Além dos R$ 150 mil, a magistrada determinou que a Globo exclua em definitivo a imagem do palmeirense das suas plataformas digitais.

A emissora, que ainda pode recorrer da condenação, argumentou no processo que não teve responsabilidade pelo erro, uma vez que veiculou apenas informações oficiais, fornecidas pelas fontes policiais.

Disse ainda que, ao tomar conhecimento do processo, excluiu a reportagem em questão de suas plataformas digitais.