Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos

Eleitores que filmaram voto em Bolsonaro anulado estavam errando o cargo

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

09/10/2018 20h50

São enganosos dois vídeos disseminados em redes sociais e no WhatsApp em que eleitores sugerem que existia falha nas urnas eletrônicas na votação de domingo (7). Eles estariam tentando votar em Jair Bolsonaro (PSL), mas, ao digitarem o número do candidato, aparecia a mensagem “voto nulo”. Porém, nos dois casos, é possível ver na urna que o voto, naquele momento, deveria ser para governador (a).

Em um dos vídeos, o eleitor diz estar em Mossoró (RN). No Rio Grande do Norte não havia nenhum candidato do PSL disputando o governo estadual. Portanto, o número de Bolsonaro resultava em voto nulo.

No outro vídeo, o eleitor afirma estar votando na escola Rezende  Rammel. O projeto Comprova localizou duas unidades escolares com esse nome e ambas ficam no estado do Rio de Janeiro. O PSL também não lançou candidato ao governo do Rio. Da mesma forma, portanto, o número do candidato a presidente era um voto nulo.

Gravação é crime

Apesar de os eleitores terem filmado a cabine de votação, usar equipamentos eletrônicos diante da urna eletrônica é crime, previsto na lei 9504/1997, a Lei das Eleições.

Em seu artigo 91-A, a norma estabelece que: “Fica vedado portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas e filmadoras, dentro da cabina de votação”.

Já no Código Eleitoral, é considerado crime “violar ou tentar violar o sigilo do voto”. A pena é detenção de até dois anos.

O Comprova recebeu pedidos para checagem desses vídeos pelo WhatsApp — você pode pedir uma verificação para o Comprova pelo WhatsApp (11) 97795-0022. No Facebook, o vídeo que seria de Mossoró ultrapassa 6,6 milhões de visualizações. Alguns posts com estes vídeos deixam claro o engano que existe nas supostas denúncias de fraude.

O material foi verificado pelo “SBT”, pela “Gazeta Online”, pela rádio “GaúchaZH”, além do UOL, do “Estadão” e de “O Povo”, todos integrantes do projeto Comprova.

O Comprova é um projeto integrado por 24 empresas brasileiras de mídia que investiga e explica rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação associadas às eleições presidenciais do Brasil. Envie sua pergunta ou denúncia de boato falso pelo WhatsApp 11 97795-0022.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber

Mais UOL Confere