PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


Vídeos enganam ao mudar contexto de fala de Lula sobre políticos e pobres

29.jun.2022 - Na fala, realizada durante um evento sobre a fome no Brasil, em outubro de 2021, Lula reprova a atitude de políticos que, segundo ele, só pensam na população que tem pouco recurso em épocas de eleição. - Projeto Comprova
29.jun.2022 - Na fala, realizada durante um evento sobre a fome no Brasil, em outubro de 2021, Lula reprova a atitude de políticos que, segundo ele, só pensam na população que tem pouco recurso em épocas de eleição. Imagem: Projeto Comprova

Projeto Comprova

29/06/2022 10h53

Conteúdo investigado: Dois vídeos exibem o mesmo trecho de uma fala de Lula em que o ex-presidente diz que pessoas pobres só são lembradas por políticos em época de eleição. Uma das publicações tem a tela dividida em duas partes: à esquerda, o autor do post reage desaprovando a fala do ex-presidente, enquanto à direita é mostrado o vídeo do petista.

Onde foi publicado: Kwai.

Conclusão do Comprova: São enganosos os vídeos que circulam no Kwai que sugerem que o ex-presidente Lula, durante um discurso, teria menosprezado a população pobre ao compará-la com papel higiênico.

A fala do petista, que durou cerca de 43 minutos, foi retirada de contexto. Na ocasião, Lula discursou no Encontro dos Movimentos do Campo, das Florestas e das Águas, em 15 de outubro de 2021, que tinha como objetivo promover uma discussão sobre o combate à fome no Brasil.

Os vídeos aqui verificados não exibem a fala completa de Lula que, na realidade, critica a postura, atribuída por ele a outros líderes, de lembrar das pessoas pobres apenas em período de campanha eleitoral.

O Comprova classifica como enganoso todo conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações e que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. Juntos, os vídeos publicados no Kwai alcançaram mais de 906 mil interações, sendo 28,2 mil curtidas, mais de 7 mil comentários, 40,9 mil compartilhamentos e 830,4 mil visualizações até o dia 28 de junho.

O que dizem os autores das publicações: O Comprova entrou em contato com os responsáveis pelas publicações por meio de mensagens na rede social Kwai. No entanto, não houve retorno até o fechamento desta verificação.

Como verificamos: O Comprova iniciou a checagem fazendo a transcrição da fala de Lula exibida pelos vídeos verificados. A partir disso, utilizando um trecho do discurso, fez uma busca no Google, que resultou em um vídeo mais completo, publicado no perfil do ex-presidente no Facebook, com a íntegra do discurso.

Com a gravação, que tem 42 minutos e 59 segundos de duração, o Comprova pôde investigar o contexto e o teor da fala completa de Lula, além da data e local onde foi realizada.

Os vídeos verificados

As peças de desinformação verificadas pelo Comprova foram publicadas no dia 24 de junho por dois perfis diferentes na rede social Kwai, um aplicativo móvel de compartilhamento de vídeos. Ambos utilizam trecho de um discurso feito por Lula, pré-candidato à presidência da República pelo PT. Um dos vídeos leva o título de "Lula diz: 'Pobre é só um número'. Lula e a esquerda contra o povo"; o outro é intitulado "É um número Lula? Pobre é papel higiênico Lula?".

No conteúdo alvo da verificação, Lula aparece dizendo: "O pobre é um número. Às vezes, um número bonito para se utilizar em campanha. Eu, há 20 anos atrás, dizia: 'Pobre, sabe, é utilizado como se fosse papel higiênico. Ah, tem uma baita utilidade na época de eleição, mas depois joga ele fora, esquece'".

A declaração, retirada de seu contexto original, sugere, de forma enganosa, que Lula considera o pobre "um número bonito para se utilizar em campanha. Na verdade, o ex-presidente faz uma crítica a essa postura, atribuída por ele a outros políticos.

Fala completa

Ao buscar por um trecho da declaração no Google, a equipe de verificadores chegou a outro vídeo, mais completo, publicado na página oficial de Lula no Facebook, com duração de 42 minutos e 59 segundos. A partir desse conteúdo, foi possível identificar o contexto e a data em que o discurso foi feito.

A manifestação ocorreu no Encontro dos Movimentos do Campo, das Florestas e das Águas com Lula, em 15 de outubro de 2021, véspera do Dia Mundial da Alimentação. Um vídeo, ainda mais extenso, desse mesmo encontro está publicado no canal oficial de Lula no YouTube. No evento, o ex-presidente afirmou que a volta da fome estaria relacionada à ausência de um projeto que coloca os pobres no orçamento do país: "A gente pode produzir o que quiser, mas se o povo não tiver dinheiro, ele vai passar fome."

O trecho utilizado pelos autores dos vídeos verificados pode ser encontrado entre os minutos 00:34:59 e 00:35:18 (link do Facebook). A ideia completa parte do minuto 00:33:45 e se estende ao 00:35:59, confira:

"Então, nós estamos falando de fome de comida, mas nós temos muitas outras fomes, gente. Muitas outras fomes tão duras ou tão fortes quanto a comida. Nós temos fome de política ambiental e preservação das nossas águas, e preservação das nossas florestas, dos nossos animais, da nossa fauna. E de um animal, que, se a gente não tomar cuidado, ele está morrendo muito fortemente, que é o ser humano. Uma das grandes desgraças é que o ser humano, os mais pobres, não estão morrendo só na Amazônia por causa do desmatamento, do desemprego e da fome. Morre no mundo inteiro pelo esquecimento daqueles que deveriam ter responsabilidade de lembrar. Nenhum presidente de nenhum país do mundo se esquece do orçamento das Forças Armadas, nenhum país do mundo se esquece dos orçamentos do Itamaraty, do orçamento do Ministério Público, do orçamento da Polícia Federal, do orçamento da Receita, mas esquece de colocar o pobre no orçamento. Porque o pobre não é levado em conta. O pobre é um número. Às vezes, um número bonito para se utilizar em campanha. Eu, há 20 anos atrás, dizia: 'Pobre, sabe, é utilizado como se fosse papel higiênico. Ah, tem uma baita utilidade na época de eleição, mas depois joga ele fora, esquece.' Eu estou falando isso, coisa que eu já falei 30 anos atrás, eu sou velho, eu estou falando do passado. Eu deveria falar do futuro, mas essa gente que cassou a Dilma, fez o impeachment da Dilma, fazendo a ponte para o futuro, olha a ponte que eles nos deram: o purgatório. Essa gente faz autocrítica? Não. Essa gente quer a continuidade disso. Porque esse país nunca foi governado para 100% do seu povo. Esse país sempre foi governado para uma minoria privilegiada."

Ao analisar o discurso, é possível perceber que Lula critica, inicialmente, o posicionamento de presidentes ao redor do mundo que se esquecem de "colocar o pobre no orçamento" e que os mais pobres estão morrendo "pelo esquecimento daqueles que deveriam ter responsabilidade de lembrar". Ao mencionar que "o pobre é um número", "um número bonito para se utilizar em campanha", Lula não está expressando a própria opinião, mas buscando exemplificar como esses presidentes, cujos nomes não são citados, enxergam o pobre.

Na sequência, o presidenciável faz referência a "essa gente que cassou a Dilma (PT), fez o impeachment da Dilma". Cita que deveria estar falando do futuro, mas que há décadas segue insistindo no mesmo tema (a "utilização" do pobre em época de eleição por interesse) por entender que a questão não foi superada.

Lula, em seguida, menciona que, em vez de "ponte para o futuro", "olha a ponte que eles nos deram: o purgatório" - fazendo uma clara crítica ao programa de governo batizado de "Uma Ponte para o Futuro", que pavimentou as ações do presidente Michel Temer após a queda da ex-presidente Dilma Rousseff.

Os autores dos vídeos

Um dos perfis que postou o vídeo checado aqui tinha, até dia 27 de junho, 5,2 mil seguidores no Kwai e 523 conteúdos postados. A maior parte das publicações é contrária a Lula e ao PT e favorável ao presidente Jair Bolsonaro (PL). O autor também possui um canal no YouTube, com 462 seguidores, e um perfil no Twitter, em que consta que é de Minas Gerais.

O outro vídeo verificado foi publicado por um perfil intitulado Sou contra o PT e você? (Celso 5692). O perfil tem 48,9 mil seguidores e 634 postagens; a maioria delas contra Lula e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos sobre a pandemia de covid-19, políticas públicas do governo federal e as eleições presidenciais que viralizaram nas redes sociais. Os vídeos aqui verificados tiram de contexto a fala de um pré-candidato ao Planalto. Isso pode confundir e influenciar a decisão de voto dos eleitores, o que é prejudicial para o processo democrático.

Outras checagens sobre o tema: O Comprova já verificou outras peças de desinformação a respeito de figuras políticas que podem interferir na escolha dos eleitores. Recentemente, o Comprova mostrou que Lula não tem conta no banco do Vaticano; que post adulterou áudio e mentiu ao afirmar que Lula foi xingado em Caruaru (PE) e que post trocou local de ato contra Lula para desacreditar pesquisas.

Este conteúdo foi investigado por Folha de S. Paulo, Grupo Sinos e Plural Curitiba. A investigação foi verificada por O Estado de S. Paulo, Correio de Carajás, A Gazeta, Metrópoles, Nexo e O DIA. A checagem foi publicada no site do Projeto Comprova em 28 de junho de 2022.

O Comprova é um projeto integrado por 40 veículos de imprensa brasileiros que descobre, investiga e explica informações suspeitas sobre políticas públicas, eleições presidenciais e a pandemia de covid-19 compartilhadas nas redes sociais ou por aplicativos de mensagens. Envie sua sugestão de verificação pelo WhatsApp no número 11 97045 4984.