Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


É falsa a notícia de que governo concluirá pavimentação de Transamazônica

Arte UOL/Bruno Kelly/Reuters
Imagem: Arte UOL/Bruno Kelly/Reuters

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/03/2019 04h02

"O governo federal poderá, finalmente, concluir a pavimentação da rodovia Transamazônica, que liga o Leste ao Oeste do país, iniciada em 1969." É o que diz uma mensagem, atribuída ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), que circula pelas redes sociais.

Depois de 50 anos, finalmente a BR-163, mais conhecida por Transamazônica, sendo asfaltada. É o governo Bolsonaro em ação. O Exército Brasileiro está na BR-163, no Pará, para iniciar a pavimentação da rodovia, após 30 anos de promessas de todos os governos que passaram por este país.

"Você ouviu ou viu isso em alguma mídia brasileira? Você entendeu como a mídia esquerdista brasileira desinforma a sociedade", conclui o texto, com suposta assinatura de Bolsonaro.

Nas redes sociais, a mensagem é acompanhada de vídeo com suposta reunião do Exército Brasileiro com autoridades do governo Bolsonaro para discutir os detalhes da obra.

FALSO: Governo não pavimentará Transamazônica

A notícia falsa mistura rodovias federais e atribui erroneamente ao projeto à conclusão da Transamazônica. Governo federal e Exército negaram a informação.

Primeiro, é preciso entender que a mensagem parte de um equívoco: ela chama a Transamazônica de BR-163 quando esta é, na verdade, a BR-230. Só a primeira será pavimentada, a segunda, não.

Inaugurada em 1972, a Transamazônica (BR-230) liga Cabedelo, no litoral paraibano, a Lábrea, no interior do Amazonas, em cerca de 4.260 km.

Igualmente grande (quase 3.500 km), a BR-163 liga Tenente Portela, no Rio Grande do Sul, a Santarém, no Pará. Até então, ambas ainda têm trechos não pavimentados na região Norte.

Ao UOL, o Ministério da Infraestrutura explicou que a pavimentação se dará em 51 km da BR-163, entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), ainda neste ano. No ano que vem, haverá a conclusão no estado do Pará em mais 58 km.

O Exército Brasileiro também negou que tenha planos concretos para pavimentar a Transamazônica. Em resposta à reportagem, a instituição explicou que o vídeo divulgado é, de fato, de um encontro do 8° Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC) com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), mas para "verificar o andamento da Operação Rondon na BR-163" e não da BR-230.

Questionado pelo UOL, o Planalto se recusou a comentar a mensagem atribuída ao presidente Bolsonaro. A reportagem não encontrou, no entanto, nenhuma declaração sobre pavimentação da Transamazônica em seus perfis oficiais.
 

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

Mais UOL Confere