Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


Notícia falsa fala sobre tecnologia para curar câncer de mama sem cirurgia

Arte UOL/Pexels
Imagem: Arte UOL/Pexels

Anita Grando Martins

Colaboração para o UOL, de Florianópolis

28/10/2019 04h01

"Câncer no seio não precisa mais fazer cirurgia. Presidente Jair Bolsonaro vai autorizar a importação dessa tecnologia de Israel." É o que dizem postagens que vêm sendo compartilhadas nas redes sociais, em geral com pedidos de ajuda na divulgação da informação.

A maior parte das publicações é acompanhada de comentários de comemoração da notícia ou de elogio à iniciativa do presidente Jair Bolsonaro.

"Embora chamado de machista, foi o único presidente que se lembrou em primeiro lugar das mulheres", lê-se em uma delas.

FALSO: Brasil não tem acerto para importar tecnologia

Não há indícios de que Bolsonaro vá autorizar a importação de qualquer tecnologia para curar câncer de mama sem cirurgia.

Acima de tudo porque tal método ainda não foi desenvolvido, testado e aprovado pela comunidade médica internacional.

Também porque, no Brasil, não é o presidente que dá essa permissão e, sim, a Comissão de Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), segundo o Ministério da Saúde.

"A incorporação de novas tecnologias, como medicamentos e tratamentos, no SUS, é feita a partir da análise da eficácia, efetividade e custo-benefício e acompanhada de regras precisas quanto à indicação e forma de uso", comunicou o órgão, por meio de sua assessoria de imprensa.

É verdade que há pesquisas sendo realizadas para tratamento de câncer de mama sem cirurgia.

Algumas, principalmente nos Estados Unidos, têm utilizado apenas medicamentos convencionais de quimioterapia, mas há discordâncias sobre as consequências da dispensa da cirurgia no longo prazo. Outras, feitas em Israel, por exemplo, estão usando a chamada crioablação (resfriamento extremo e rápido de uma região tecidual).

De acordo com o Ministério da Saúde, até agora, a crioablação mostrou-se eficaz em lesões benignas, mas para o "câncer de mama ainda não existe nada estabelecido. Alguns estudos vêm demonstrando sucesso no tratamento de lesões malignas únicas e menores que 1 cm, com baixas complicações, porém não pode ser considerada ainda superior ao tratamento cirúrgico convencional, assim como não evita a realização das outras terapias, como quimioterapia, radioterapia etc. Portanto, atualmente não está indicada para tratamento do câncer de mama".

Há uma outra iniciativa em Israel buscando a cura para todos os tipos de câncer por meio do bombardeamento de células cancerígenas por peptídeos.

O Ministério da Saúde alerta que essa tecnologia "não foi sequer testada clinicamente ainda" e pede que a notícia não seja compartilhada.

O Ministério dia Saúde informou ainda que, no momento, não existe nenhum pedido sendo analisado pela Conitec para incorporação desses novos tratamentos para o câncer na mama.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere