Enfermeira não morreu após ser vacinada ao vivo durante reportagem

É falso que uma mulher tenha "morrido ao vivo" durante a transmissão de uma reportagem logo após receber uma dose de vacina contra covid-19. A mulher, que é uma enfermeira, teve um mal-estar e o vídeo é de 2020, mas ela não morreu.

A checagem foi sugerida ao UOL Confere pelo WhatsApp (11) 97684-6049.

O que diz o post

O trecho de uma reportagem que mostra o início da vacinação no hospital CHI (Catholic Health Initiatives) Memorial, no Tennessee, nos Estados Unidos, é compartilhado com uma legenda que diz "mulher morre ao vivo ao tomar a picada". A mulher que tomou a dose da vacina e aparece no vídeo é a enfermeira Tiffany Dover.

Por que é falso

Enfermeira não morreu. O vídeo é de dezembro de 2020 e mostra Tiffany Dover desmaiando logo após tomar a dose da vacina. Desde então ela tem sido alvo de desinformações e teorias conspiratórias.

Desinformação sobre a morte de Dover foi desmentida em 2020 por diversos veículos de checagem dos Estados Unidos e do Brasil (veja aqui, aqui, aqui, aqui e aqui).

Tiffany Dover disse ter uma condição clínica de hipersensibilidade à dor e, por isso, desmaiou. À época, ela deu uma entrevista logo após o incidente a um jornal local (veja aqui o vídeo da entrevista).

Enfermeira reafirmou em abril deste ano que está viva e bem, em uma entrevista a NBC News, emissora dos EUA. Ela tem sido alvo de teorias conspiratórias (leia aqui, em inglês). Veja o vídeo abaixo:

UOL Confere

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes