Topo

Rodízio, rotas, ônibus e trens: 10 perguntas sobre o viaduto que cedeu em SP

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

20/11/2018 11h50

O acidente com um viaduto que levou à interdição de um trecho de dez quilômetros da marginal Pinheiros pode trazer novos transtornos para uma parcela dos moradores de São Paulo a partir de quarta-feira (21), com o fim do feriado prolongado. Autoridades públicas se preparam para lidar com possíveis engarrafamentos em diversos pontos da região.

O acidente ocorreu na quinta-feira (15), quando um viaduto, por onde passa a pista expressa da Marginal Pinheiros na altura do Parque Villa-Lobos, cedeu cerca de dois metros e provocou a interdição. Não há data prevista para o conserto e o motivo do acidente ainda não foi explicado. 

A prefeitura divulgou restrições e recomendações que afetam motoristas e usuários do transporte público. Veja nas perguntas e respostas abaixo o que fazer para evitar transtornos e entenda o que está sendo feito pelas autoridades para tentar resolver o problema. 

Qual é o trecho interditado da Marginal Pinheiros?

Está interditado o trecho da pista expressa no sentido norte (que segue em direção à rodovia Castello Branco) entre a ponte Eusébio Matoso e o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pinheiros. O trajeto tem cerca de 10 km.

Quais serão as áreas mais afetadas?

A previsão é de que as regiões oeste e sul sejam as mais afetadas por trânsito, uma vez que o trecho interditado, no sentido rodovia Castello Branco, direcionava motoristas das regiões oeste e sul para a região norte e para as rodovias que seguem no sentido do interior.

Quais são as rotas alternativas?

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) divulgou uma série de rotas alternativas para o motorista que precisaria passar pela região. Veja abaixo:

  • Dentro da cidade: utilizar as avenidas Brigadeiro Faria Lima, Pedroso de Morais, Prof. Fonseca Rodrigues e Dr. Gastão Vidigal, onde o motorista pode optar por seguir em frente para a marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, ou pegar acesso em direção à ponte dos Remédios
  • Chegada à cidade: quem chegar pelas rodovias Anchieta, Imigrantes, Régis Bittencourt e Raposo Tavares deve utilizar o Rodoanel e a rodovia Castello Branco
  • Quem vem da zona sul: quem for no sentido centro, deve pegar as avenidas Interlagos, Washington Luís, Moreira Guimarães, Rubem Berta, 23 de Maio e passar pelo túnel Anhangabaú. Para o sentido Santo Amaro, as avenidas Senador Teotônio Vilela, Atlântica, passando pelo Largo do Socorro e chegando à av. Washington Luís

O que a prefeitura recomenda?

A Prefeitura de São Paulo recomenda que a população prefira usar o transporte público e não carros, se possível.

Os trens estão circulando na região?

Sim, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) circula com capacidade total no trecho da Linha 9-Esmeralda, que passa sob o viaduto. Entre as estações Cidade Universitária e Villa-Lobos Jaguaré, a velocidade dos trens está reduzida para evitar oscilações no viaduto.

Como será a circulação de ônibus?

A prefeitura mantém normalmente a circulação de ônibus municipais. No entanto, há uma reserva operacional de ônibus pronta para ser usada na região. Por isso, a oferta de ônibus pode ser ampliada se a demanda for muito grande.

Quais são as causas do acidente?

O prefeito da cidade, Bruno Covas (PSDB), afirmou que a gestão municipal, após análises de engenheiros, supervisionadas pelos secretários de infraestrutura urbana e de transporte, ainda não chegaram a uma conclusão sobre o que teria provocado o incidente. A prefeitura procura a planta do projeto do viaduto, feito pelo governo do estado nos anos 1970, mas a gestão estadual não havia encontrado o projeto até esta terça-feira (20).

Quais técnicas de engenharia estão sendo feitas?

Engenheiros pretendem usar um macaco hidráulico para reerguer a estrutura. Técnicos da prefeitura cavaram cerca de 9 metros para fazer a instalação de 10 estacas que servirão de base para o viaduto. As obras ainda estão na fase subterrânea, sem partes expostas fora do solo. Após essa fase, será a vez da instalação do macaco hidráulico de 500 toneladas, que ajudará a reerguer parte do viaduto que cedeu e tirar a pressão do pilar danificado.

Há prazo para o fim das obras?

A prefeitura afirma não ter como prever o fim das obras, o orçamento e a estratégia a ser utilizada depois de os macacos hidráulicos elevarem a parte que cedeu.

O rodízio será suspenso?

O rodízio foi suspenso sem prazo determinado pela prefeitura, mas só em um trecho da pista local da marginal Pinheiros. A circulação foi liberada no sentido Castello Branco, entre a avenida dos Bandeirantes e a ponte dos Remédios. No restante da cidade, o rodízio se mantém normalmente. No entanto, Bruno Covas afirmou que isso pode ser revisto. 

Veja como o viaduto está sendo escorado

UOL Notícias

Mais Cotidiano