Topo

Prefeitura de São Paulo libera dois trechos da marginal Pinheiros

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

19/11/2018 17h33Atualizada em 19/11/2018 21h12

O secretário municipal da Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto, anunciou nesta segunda-feira (19) a liberação de dois trechos da marginal Pinheiros. Eles estavam interditados desde quinta-feira (15) após um viaduto, na altura do parque Villa-Lobos, ceder cerca de dois metros.

Após o incidente, um trecho de aproximadamente 20 km da via expressa, da ponte Transamérica até a ponte do Jaguaré, foi interditado.

De acordo com o secretário, dois trechos que somam 10 km já operam desde o início desta tarde: o primeiro, desde a ponte Estaiada até a ponte Eusébio Matoso, no sentido Interlagos/Castelo Branco; e o segundo, da ponte João Dias até a ponte Estaiada.

A expectativa é que esses trechos continuem abertos até pelo menos quarta-feira (21), quando é esperado um aumento no fluxo de veículos na volta do feriado prolongado. "À medida em que houver liberação [possível], ela vai ser feita", disse Machado Neto.

Estima-se que cerca de 1.500 veículos passam por hora em cada uma das faixas da pista expressa da via, que em determinados trechos chega a cinco faixas.

Veja também: 

Segundo Machado Neto, durante o processo de reestruturação do viaduto que cedeu serão implementadas uma série de medidas "dinâmicas" para "minimizar o impacto da perda da marginal Pinheiros". "Todos estamos aprendendo com a reação da cidade em relação a essa perda da marginal. Essas ações podem ser ampliadas ou definidas por outras", afirmou ele.

O bloqueio anterior, que interditou quase 20 km da marginal, foi realizado para evitar um "efeito funil", segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) --isto é, quando existe apenas uma faixa de acesso à pista local, sem opções de saída suficientes para escoar o fluxo da pista expressa, e os veículos acabam represados.

Medidas alternativas

O secretário também afirmou que, nesta manhã, o prefeito Bruno Covas (PSDB) autorizou que sejam realizadas correções e intervenções físicas na marginal.

De acordo Machado Neto, serão removidas algumas "interferências", como "ilhas, passeios e bloqueios", para que a transposição da pista expressa para a pista local seja melhorada. As obras serão realizadas em regime de contratação de emergência.

Um exemplo é na saída da ponte Edson de Godoy Bueno (antiga ponte Itapaiuna), que hoje entra integralmente na pista local. Segundo o secretário, será realizada uma transposição na saída da ponte para que os veículos tenham acesso à via expressa.

Na avaliação de Machado Neto, três principais medidas poderão ter impacto positivo no trânsito da cidade:

  • Abertura de canteiros próximos ao CDP (Centro de Detenção de Pinheiros), onde haverá três faixas a mais da pista local para a pista expressa;
  • Na ponte Edson de Godoy Bueno, uma intervenção permitirá que o motorista acesse a pista expressa; e
  • Na altura do shopping Villa-Lobos, um canteiro será aberto para que os motoristas tenham acesso da pista expressa para a local.

Alternativas de rotas aos caminhões

O secretário também afirmou que deve conversar com a diretoria da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) para discutir alternativas de rotas aos caminhões que precisam acessar o local, sem utilizar a entrada pela marginal. "A ideia é não comprometer a logística da Ceagesp", disse o secretário.

Machado Neto também disse que a prefeitura está em contato com as concessionárias das rodovias que desembocam em São Paulo. Segundo ele, a ideia é que veículos com carga cujo destino final não seja a capital paulista trafeguem pelo Rodoanel.

O secretário ainda defendeu que a marginal Pinheiros seja evitada pelos paulistanos e que as pessoas prefiram o uso do transporte coletivo, para que não haja "sobrecarga adicional" da via.

Ele não informou, no entanto, se haverá aumento na frota de ônibus ou operações especiais no sistema de transporte público.

Cotidiano