PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mulher que jogou filha do 5º andar vira ré por tentativa de homicídio em SP

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

03/06/2019 17h07

A Justiça de São Paulo recebeu hoje a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra a estudante universitária Fernanda Garcia, de 29 anos. Na madrugada do último dia 24, Fernanda arremessou sua filha de três anos pela janela do prédio onde vivem na zona oeste da capital. Após a chegada de policiais, ela incendiou o apartamento e tentou o suicídio.

Ela responderá por incêndio e tentativa de homicídio. Fernanda sofreu ferimentos graves e foi levada para o Hospital das Clínicas juntamente com sua filha. Esta despencou em cima de um carro, o que amorteceu a queda e a salvou.

Responsável pela denúncia, o promotor de Justiça Rogério Leão Zagallo, do 5º Tribunal do Júri da capital, afirmou que houve uma clara tentativa de Fernanda de assassinar sua própria filha. "(...)A denunciada deu início à execução de um crime de homicídio, o qual somente não se consumou por circunstâncias alheias à sua vontade", escreveu Zagallo.

De acordo com o promotor, não houve qualquer possibilidade de defesa da vítima posto que, além de ter apenas três anos, a criança não teria qualquer motivo para se preocupar com um ataque proveniente de sua própria mãe.

Depoimentos colhidos no inquérito que apurou os crimes indicam que a mulher tinha histórico de depressão e surtos e chegou a ser internada. Policiais e vizinhos que acompanharam o caso no dia em que Fernanda atirou a própria filha disseram que a estudante estava "transtornada" e falava coisas desconexas.

Criança foi salva por carro

Ao ser arremessada pela janela, a filha de Fernanda caíra sobre um carro que estava entrando na garagem do edifício. O motorista, um homem de 44 anos, percebeu que se tratava de uma criança depois que saiu do veículo.

Segundo relato do Corpo de Bombeiros ao UOL, a entrada no apartamento, com arrombamento da porta, aconteceu quando a mãe ateou fogo na cortina, o que poderia colocar em risco a vida de todos que estavam no prédio.

Os bombeiros também tentaram impedir que ela pulasse, mas não tiveram sucesso. O incêndio e um vazamento de gás foram controlados pela equipe.

De acordo com o boletim de ocorrência, naquela madrugada Fernanda segurava duas facas e dizia que tinha jogado a filha pela janela "porque havia muita gente dentro do apartamento".

*Com reportagem de Nathan Lopes e Stella Borges, do UOL em São Paulo

Motorista descreve apreensão após mãe jogar filha do 5º andar

UOL Notícias

Cotidiano