Topo

Jornal: filho acusado de matar pastor diz que irmã quis encomendar crime

17.jun.2019 - A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), de óculos escuros, durante o enterro do corpo de seu marido, o pastor Anderson do Carmo de Souza - Wilton Junior/Estadão Conteúdo
17.jun.2019 - A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), de óculos escuros, durante o enterro do corpo de seu marido, o pastor Anderson do Carmo de Souza Imagem: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

16/08/2019 11h37

Um dos filhos da deputada federal Flordelis acusado de matar o partor Anderson Carmo disse que uma de suas irmãs tentou encomendar o crime, informa o jornal "O Globo". Segundo o jornal, a irmã alegou que o pastor estava "insuportável e ninguém mais o aguentava".

O filho adotivo Lucas Cézar dos Santos de Souza contou à polícia que a irmã Marzy Teixeira da Silva, de 35 anos, o procurou oferecendo R$ 5 mil para que matasse Anderson. De acordo com ele, a irmã teria dito que o pastor estava insuportável e ninguém o aguentava em casa. Lucas teria negado o serviço e disse à irmã que Anderson lhe dava tudo.

Segundo ele, a irmã o chamou na mesma época até a casa da família durante a madrugada e perguntou se ele "faria" Anderson em troca de dinheiro e relógios do pastor. Mais uma vez Lucas teria se negado.

Marzy se negou a comentar o caso, informou a assessoria de Flordelis ao "O Globo".

Lucas também contou à polícia que três meses antes do crime recebeu uma mensagem do celular de Flordelis pedindo que matasse Anderson. Ele ligou para o número e soube que a mãe não estava em casa. Ele então teria ido no mesmo dia na casa da pastora e mostrado as mensagens. Segundo ele, a mãe ficou nervosa. Ele reiterou que muitas pessoas usavam o aparelho.

Lucas e o irmão Flávio dos Santos Rodrigues - filho biológico de Flordelis - estão presos pelo assassinato de Anderson. De acordo com a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, que investiga o caso, Flávio teria sido o executor e Lucas comprado a arma do crime. Lucas alegou não saber qual seria o fim da pistola. Flávio confessou ter dado seis disparos contra o pastor.

Os dois foram denunciados por homicídio triplamente qualificado. A polícia também investiga a participação de outras pessoas no crime.

Anderson foi assassinado há dois meses na garagem de sua casa durante a madrugada. De acordo com a polícia, o corpo teve 30 perfurações.

Mais Cotidiano