Topo

Cães de resgate em Brumadinho buscam vítimas de desabamento em Fortaleza

Aliny Gama e Daniel Herculano

Colaboração para o UOL, em Maceió e em Fortaleza

17/10/2019 04h00Atualizada em 17/10/2019 10h42

Resumo da notícia

  • Grupo com 5 cães se reveza em resgate por vítimas após desabamento
  • Dois animais também estiveram na operação em Brumadinho (MG)
  • Olfato mais apurado é determinante para encontrar soterrados

Dois cães farejadores usados nas buscas por vítimas após o rompimento da barragem da Mina do Feijão, em janeiro, em Brumadinho (MG), estão atuando no resgate dos soterrados no desabamento do edifício Andrea, em Fortaleza.

O prédio de sete andares ruiu na manhã de terça-feira, causando a morte de ao menos quatro pessoas, segundo o Corpo de Bombeiros informou na tarde de ontem. Seis pessoas continuam desaparecidas.

Ao todo, cinco cães farejadores do Corpo de Bombeiros Militar se revezam no trabalho de localização das pessoas que estavam no prédio. Eles foram divididos em um grupo com três e outro com dois animais.

O Corpo de Bombeiros Militar afirmou que os cães já ajudaram a localizar três pessoas e apontaram cinco locais com possíveis outras vítimas.

"Nossas equipes estão nos locais que os nossos cães alarmaram como de possíveis vítimas. O nosso poder operacional só aumenta, só pararemos a operação quando todas as vítimas forem resgatadas", disse o coronel Luís Eduardo Holanda, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará.

Os dois cães que estiveram no resgate em Minas Gerais são o macho Uno e a cadela Anny. Foram acompanhados pelo subtenente J. Maria e o soldado Gomes. Uno é um pastor belga malinois e é o mais experiente da equipe, com sete anos e seis meses de idade. Anny é uma labrador retriever e tem dois anos.

Atualmente, o Corpo de Bombeiros do Ceará conta com efetivo de 11 bombeiros militares e 12 cães das raças labrador, pastor belga de malinois, golden retriever e boiadeiro australiano.

Os bombeiros militares que trabalham com cães farejadores afirmam que a atuação de um deles vale por 20 militares devido à perceptiva olfativa, o que é determinante no trabalho minucioso de localização de pessoas.

"Para identificar onde estão às vítimas ou possíveis restos mortais, os cães são treinados desde muito cedo e aprendem, entre outras coisas, a ignorar outros animais ou qualquer tipo de distração durante as ações", explica o Corpo de Bombeiros. Atividades físicas também fazem parte da rotina para aguentarem o desgaste quando estão empenhados em missão.

Nas primeiras 24 horas após o desabamento, o resgate das vítimas foi feito apenas manualmente, sem uso de máquinas pesadas, devido à
complexidade do trabalho e da instabilidade no local.

O comandante Holanda destacou que os bombeiros entram em "cada fresta, em cada espaço, dentro da pilha de escombros" em busca de sobreviventes.

Por volta das 11h de ontem, os bombeiros receberam um equipamento para corte de metais e aço. Uma escavadeira também está sendo usada para retirar escombros.

Vídeo mostra colunas deterioradas em prédio que desabou em Fortaleza

UOL Notícias

Vídeo mostra pilastras avariadas

O edifício Andrea ficava entre as ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli, no bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza.

Tinha sete pavimentos. A edificação era cercada por estabelecimentos comerciais e outras edificações. O desabamento atingiu o muro de um mercado, que ficou danificado parcialmente.

Dois quarteirões adjacentes ao local do desabamento foram isolados. Os moradores tiveram de ser retirados.

Imagens feitas por moradores do prédio mostram pilastras da edificação avariadas, com ferragens expostas, sendo uma delas envolvida com um plástico.

O presidente da Academia Cearense de Engenharia, Victor Frota Pinto, suspeita que o rompimento de pilastras tenha causado o desabamento, pois a edificação caiu na vertical.

A Policia Civil instaurou inquérito para apurar as circunstâncias do desabamento. Algumas testemunhas já prestaram depoimento.

"As apurações estão em andamento. Mais informações não poderão ser antecipadas para não comprometer o trabalho policial", informou a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotidiano