PUBLICIDADE
Topo

Morador de rua é internado após levar mais de mil ferroadas de abelhas

Bombeiros retiram abelhas do corpo do morador de rua Celso Ribeiro  - Divulgação/Polícia Militar
Bombeiros retiram abelhas do corpo do morador de rua Celso Ribeiro Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

06/12/2019 12h58

Um homem de 59 anos foi internado após levar mais de mil ferroadas durante um ataque de abelhas no bairro de Ingleses, em Florianópolis. O caso ocorreu na quarta-feira, quando o morador de rua Celso Ribeiro encostou em uma árvore. Ele segue hospitalizado no Hospital Universitário (HU). Um policial militar auxiliou no resgate e também ficou ferido.

O soldado da Polícia Militar Cristiano Manoel dos Santos, 30 anos, contou ao UOL que ao chegar ao local do ataque, um terreno baldio às margens da SC-403, foi orientado a esperar pelo Corpo de Bombeiros e não se aproximar de Ribeiro. "Ele estava coberto de abelhas, não estava se mexendo e deu desespero. Daí disse que não ia deixá-lo lá".

O policial Santos depois de ter sido atacado pelas abelhas - Arquivo Pessoal
O policial Santos depois de ter sido atacado pelas abelhas
Imagem: Arquivo Pessoal

O PM colocou a balaclava - espécie de máscara que só deixa os olhos à mostra -, os óculos escuros, e pegou um extintor de incêndio para tentar afastar os insetos do morador de rua. No caminho, passou a ser atacado pelas abelhas, que ficavam mais agressivas com as borrifadas do extintor. Com muita dificuldade, conseguiu chegar até Ribeiro. "Eu chamava por ele, mas ele não respondia. Só levantou a mão, o que eu entendi como um sinal de socorro. Eu o coloquei nas minhas costas e algumas abelhas foram esmagadas, e daí comecei a sentir mais as ferroadas. Naquela hora me bateu o desespero e pensei onde eu fui me meter."

Santos diz que a intenção dele era colocar o morador de rua na viatura. Entretanto, teve que soltá-lo na metade do percurso por causa da intensidade do ataque. "Meu corpo não aguentou. A balaclava já estava cheia de abelhas. Andei por alguns metros e não aguentei mais, foi quando saí do terreno baldio."

O soldado entrou na viatura e foi levado às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. No momento em que estava saindo do local do ataque, os Bombeiros chegaram e jogara água em Ribeiro para afastar os insetos.

Santos foi atendido e levou alta no mesmo dia. Ele estima que tenha levado mais de 100 ferroadas na região das costas, rosto e nos braços. "Eu faria tudo de novo, não me arrependo." Já o morador de rua também foi para a UPA e depois foi transferido para o Hospital Universitário. Procurada pelo UOL, a casa de saúde afirmou que não fornece informações sobre internação ou estado de saúde de pacientes.

Cotidiano