PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Em prisão domiciliar por covid-19, chefe do PCC quebra tornozeleira e foge

Valacir de Alencar, o chefe do PCC no PR - Divulgação/SESP-PR
Valacir de Alencar, o chefe do PCC no PR Imagem: Divulgação/SESP-PR

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 13h18

Resumo da notícia

  • Hipertenso, Valacir de Alencar foi beneficiado com prisão domiciliar em 17 de abril
  • Apontado como chefe do PCC no PR, ele estava condenado a 76 anos de prisão
  • Entre os crimes cometidos, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e porte de arma
  • Em julho do ano passado, ele já havia fugido, mas foi recapturado dois meses depois
  • Brasil tem pelo menos 60 casos confirmados de covid-19 em penitenciárias

Horas após ser beneficiado com prisão domiciliar, por ser hipertenso e, assim, estar em grupo de risco do novo coronavírus, Valacir de Alencar, 38, apontado como líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Paraná, rompeu a tornozeleira eletrônica e fugiu. As polícias do estado estão à procura do traficante.

A Justiça havia determinado que Alencar fosse para a prisão domiciliar em 1º de abril, em decisão do juiz Diego Paolo Barausse, baseada em recomendação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), referendada pelo Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas).

Condenado a 76 anos por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e porte de arma, ele cumpria a pena na PEP (Penitenciária Estadual de Piraquara) até a manhã do dia 17 de abril, quando recebeu autorização para cumprir o restante da pena em casa.

Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná, no entanto, na tarde do mesmo dia, foi detectado o rompimento da tornozeleira eletrônica a que foi submetido e, desde então, não se sabe o paradeiro.

As polícias Civil e Militar estão à procura da Alencar. A defesa de Valacir de Alencar não foi localizada.

Em julho de 2019, ele já havia fugido da mesma unidade prisional, mas foi recapturado dois meses depois. À época, com corda feita de lençóis, o traficante escalou o muro e fugiu da prisão.

De acordo com o Depen (Departamento Penitenciário Nacional), há pelo menos 60 casos confirmados de covid-19 em presídios no Brasil, além de outros 154 sob suspeita.

A expansão do vírus em presídios é vista com preocupação, já que é um local de fácil contágio e funcionários que podem ter contato com infectados podem espalhar o vírus fora das prisões.

Nota do Departamento Penitenciário

Por meio de nota, o Departamento Penitenciário do Paraná informou que, no dia 26 de março, a defesa do preso Valacir de Alencar requereu à 1ª Vara de Execuções Penais o benefício do cumprimento da pena em regime domiciliar, alegando problemas de saúde. Confira a nota do departamento:

"No dia 02/04, o pedido foi deferido, em virtude de que o Poder Judiciário entendeu que se tratava de um preso integrante do grupo de risco para o novo coronavírus (Covid-19), expedindo-se o Mandado de Monitoração n.º 1159340-73, o qual foi cumprido no dia 17/04/2020 às 10h23.

Às 15h23 deste mesmo dia, constatou-se no sistema de monitoração eletrônica o rompimento da tornozeleira. A Central de Monitoração do Depen comunicou a violação ao Juízo, tendo a Divisão Jurídica requerido as medidas processuais cabíveis.

As polícias Militar e Civil estão na busca do referido preso e pede a colaboração da população para que repassem quaisquer informações que possam colaborar na prisão do foragido anonimamente através do Disque Denúncia 181 ou ainda pelo 190 da Polícia Militar."

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Esse e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Coronavírus