PUBLICIDADE
Topo

Polícia prende suspeitos de operar "tribunal do crime" do PCC em SP

Operação Abadon cumpre 24 mandados de prisão temporária e 38 de busca e apreensão - Reprodução
Operação Abadon cumpre 24 mandados de prisão temporária e 38 de busca e apreensão Imagem: Reprodução

Josmar Jozino e Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

16/07/2020 08h12Atualizada em 16/07/2020 12h10

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, até por volta das 11h de hoje, seis homens suspeitos de integrar o chamado "tribunal do crime" do PCC (Primeiro Comando da Capital). Eles são suspeitos de praticar homicídios em série a mando da facção na região sul da capital.

De acordo com o delegado Fábio Pinheiro Lopes, diretor do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), a operação, de nome Abadon, foi feita em conjunto com policiais do 90º DP (Distrito Policial), na Vila Sabrina, e tinha como alvos criminosos que estavam julgando e matando desafetos.

Em nota, a Polícia Civil informou que cumpre 24 mandados de prisão temporária (com prazo de cinco dias) e 38 mandados de busca e apreensão contra autores de homicídios.

"Pegamos seis [suspeitos]. Tem alvo que tem dois ou três mandados. O líder desse grupo é conhecido como Cabeça de Cobra, é integrante da facção", afirmou o delegado.

Ele afirmou que a operação foi boa nesse ponto porque muitos celulares foram apreendidos. A polícia pretende submeter os aparelhos à perícia para continuar as investigações.

Ao todo, quatro pessoas mortas e enterradas em cemitérios clandestinos pelo grupo foram identificadas. Algumas delas eram ligadas ao crime, outras, não. "Mas para matar assim, só do PCC", disse.

Participaram da operação 90 policiais civis em 53 viaturas, com o apoio de agentes do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas).

Segurança pública