PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
MP e Polícia Civil realizam operação na sede da cervejaria Backer, em MG

Mandado de busca e apreensão na Cervejaria Backer foi expedido pela Justiça a pedido do MPMG - Divulgação/MPMG
Mandado de busca e apreensão na Cervejaria Backer foi expedido pela Justiça a pedido do MPMG Imagem: Divulgação/MPMG

Do UOL, em São Paulo

04/08/2020 10h57

O MP-MG (Ministério Público de Minas Gerais) e a Polícia Civil do estado cumprem na manhã de hoje um mandado de busca e apreensão na sede da cervejaria Backer, em Belo Horizonte.

O mandado foi expedido pela Justiça atendendo a requerimento da 14ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, vinculada ao Ministério Público mineiro. O UOL tenta contato com a cervejaria.

Segundo o MP, o mandado tem o objetivo de realizar "a coleta e apreensão de documentos que se encontram na sede da empresa, visando trazer elementos ao inquérito policial" relacionado ao Caso Backer.

Em janeiro, a Polícia Civil passou a receber diversos relatos de pessoas que, depois se ingerirem a cerveja Belorizontina, fabricada pela empresa, foram internadas com sintomas de intoxicação.

Laudos toxicológicos e necropsia de vítimas que morreram após ingerirem a cerveja - até julho, foram dez no total - constataram intoxicação por dietilenoglicol, que pode ser usado na produção da bebida, embora seja raro.

De acordo com o Ministério Público, o inquérito da Polícia Civil foi encerrado em junho e encaminhado ao Ministério da Agricultura, em Brasília, que identificou novas irregularidades no processo produtivo da cervejaria.

No início de junho, o Ministério da Agricultura informou por meio de nota que foram encontradas substâncias tóxicas como o dietilenoglicol em cervejas produzidas pela Backer desde janeiro 2019.

Cotidiano