PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
6 meses

Pedestre atingido por motocicleta após acrobacia é transferido para UTI

Maurício Businari

Colaboração para o UOL, em Santos

17/08/2020 18h25

O zelador Valdir do Nascimento, de 57 anos, foi transferido na tarde de hoje (17) para a UTI do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, litoral de São Paulo. Ele aguardava por uma vaga desde a última quarta-feira, quando foi atropelado por um motociclista que fazia acrobacias com o veículo numa rua da Vila Mirim. O jovem não possui habilitação.

Cenas do acidente foram capturadas por uma câmera de monitoramento. O clipe registra o momento quando o motociclista tenta impressionar um colega, que o acompanha em outra motocicleta. O rapaz empinou a moto, seguiu por alguns metros equilibrando-se apenas sobre uma das rodas do veículo, até perder o controle e atingir Valdir, que caminhava junto ao meio-fio. A câmera mostra que nenhum dos motociclistas ajudou o zelador — eles não prestaram socorro e fugiram em seguida, deixando a vítima caída no chão.

Acionada, a Polícia Militar encaminhou o caso ao 2º DP de Praia Grande. A polícia civil deu início às investigações e conseguiu identificar e localizar os condutores — dois jovens, um de 21 e outro de 18 anos. Eles foram autuados por "lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, fuga de local de acidente e omissão de socorro" e liberados em seguida. O veículo do motociclista de 21 anos, que atingiu a vítima, foi apreendido e encaminhado ao pátio.

Valdir do Nascimento é conhecido e muito querido pelos moradores da Vila Mirim, bairro onde mora há muitos anos. O zelador não tem familiares no estado de São Paulo. Coube, então, a autônoma Ray Lopes, 46, que mora em frente ao prédio onde a vítima reside, ajudar a localizar a família. Uma irmã e um sobrinho, que vivem no Paraná, chegaram na manhã de hoje ao litoral paulista. Eles visitaram o parente à tarde, no Hospital Irmã Dulce.

"Desde que soube do acidente, venho acompanhando o caso do Valdir. Já estive no hospital várias vezes e estou muito preocupada. O médico que o atendeu me explicou que ele teve dois derrames cerebrais e possui vários coágulos. Ele está sendo bem atendido, mas precisa da UTI com urgência, pois o oxigênio não está chegando ao cérebro como deveria. Ele teve traumatismo craniano, está com confusão mental, não reconhece ninguém e não fala coisa com coisa", conta a vizinha.

Ray conta que Valdir trabalhou por muitos anos como zelador de um edifício na Rua Dorivaldo Francisco Loria, em frente ao prédio onde ela mora. Recentemente, foi dispensado do cargo de zelador e passou a trabalhar em um bar nas proximidades, mas segue residindo no edifício. "Uma vez ele me contou que morava sozinho, que só tinha parentes no Paraná e em Rondônia. Então quando eu soube do acidente, comecei a enviar mensagens em diversos grupos dessas localidades no Facebook, avisando sobre o ocorrido".

Ontem, com a autorização do síndico, Ray teve acesso ao apartamento de Valdir e conseguiu localizar o número de um sobrinho, que reside no Paraná. Entrou em contato com o rapaz, que prontamente alertou a mãe, irmã do zelador. Eles não quiseram dar entrevistas ao UOL. "Ainda estão muito abalados com o acidente", explicou Ray, que segue auxiliando a família. Hoje, após o almoço, ela recebeu a notícia de que finalmente Valdir havia sido transferido para a UTI do hospital.

Jovens não tinham habilitação

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 2º DP de Praia Grande, a vítima sofreu escoriações nas duas pernas, além de uma contusão cerebral "que, segundo a médica Renata Fassolini, poderá trazer sequelas pelo resto de sua vida". De posse dos números das placas das motocicletas, graças ao vídeo registrado pela câmera de monitoramento, os investigadores Alexandre Cassiano e Vanda Possa localizaram os jovens suspeitos.

Ambos não possuíam habilitação e a motocicleta envolvida no acidente foi recolhida ao pátio do 2º DP do município. Indagados a respeito de não terem prestado socorro à vítima, os jovens informaram "que chegaram a chamar a vítima, porém como a mesma não respondia, acharam que estava morto, motivo pelo qual evadiram-se do local sem prestar socorro".

Ainda segundo o boletim de ocorrência, o rapaz que atropelou Valdir infringiu vários crimes de trânsito como "dirigir veículo sem permissão, direção perigosa, lesão corporal culposa com veículo automotor e omissão de socorro".

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) informou apenas que o caso está sendo investigado pelo 2ºDP de Praia Grande. "Na última sexta-feira (14), os dois ocupantes da moto foram identificados, ouvidos e liberados por não haver situação flagrancial, conforme determina os artigos 302 e 303 do Código Penal. A moto foi encaminhada para a perícia e as investigações prosseguem".

A Secretaria de Trânsito da Praia Grande informou que, em virtude das campanhas e iniciativas realizadas pelo órgão, a cidade tem registrado uma queda no número de acidentes. Entre os pedestres, a redução foi de 55,5% no número de óbitos: 27 casos em 2015, 9 em 2016, 14 em 2017, 15 em 2018 e 12 no ano passado.

A redução no número de acidentes envolvendo motociclistas foi de 47,3% nos últimos cinco anos, inclusive com registro da menor taxa de óbitos no último ano — 19 em 2015, 20 em 2016, 26 em 2017, 21 em 2018 e 10 em 2019. Somente em 2019, a redução foi de 34% no número de mortes no trânsito, em comparação ao ano anterior; passando de 50 casos para 33, no total.

A assessoria de Imprensa do Hospital Irmã Dulce, na Praia Grande, informou, por meio de nota, que "o paciente em questão já se encontra internado em leito de UTI, recebendo toda a assistência para o seu caso na unidade".

Cotidiano