PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias
Envolvidos em confusão no Leblon já tiveram passagem na polícia, diz jornal

Do UOL, em São Paulo

29/09/2020 09h00

Três dos principais envolvidos na confusão que se deu no Leblon no último fim de semana, quando duas mulheres de biquíni foram atacadas por frequentadores de um bar, têm passagem na polícia como suspeitos de serem autores de lesões corporais.

De acordo com o jornal O Globo, o motorista do carro, a arquiteta que jogou as garrafas de água e a empresária se envolveram em casos de agressões registrados em delegacias do Rio entre 2013 e o mês passado.

Aline Cristina Araújo Silva, de 37 anos, é a arquiteta que, incomodada pelo "desfile" do carro com as mulheres de biquíni atirou garrafas de água contra o veículo. Segundo o jornal, ela foi acusada pela sogra de um ex de empurrá-la, exigindo que ela parasse de falar com a neta, em 15 de julho de 2014.

A suposta vítima afirmou na na 14ª DP (Leblon) que o ato de violência aconteceu após Aline ir até sua porta e a xingar.

Já a empresária Scheila Danielle Gmack Santiago, de 30 anos, que teve a parte de cima de seu biquíni arrancado na confusão, tem registros de lesão corporal e invasão de domicílio.

Segundo O Globo, o primeiro diz respeito a uma acusação de Scheila ter desferido socos e pontapés numa jovem em um quiosque na Praia do Pepê. No segundo, um homem com quem ela se envolveu a acusou de invadir seu apartamento, localizado na Barra da Tijuca.

Por fim, o engenheiro de produção Wilton Vacari Filho, que dirigia o conversível, aparece em dois boletins de ocorrência: um de novembro de 2013 e outro de 9 de setembro deste ano.

No primeiro, ele é citado em uma briga no Maracanã — o caso ainda está sendo processado no Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos.

No segundo, da 10ª DP (Botafogo), Wilton é acusado de agredir um funcionário de uma empresa de eventos em uma festa em uma embarcação na Marina da Glória. Wilton alega que foi apalpado nas nádegas, o que teria começado a briga.

Ontem, o motorista do conversível chamou a arquiteta que atirou as garrafas no veículo de "recalcada" e prometeu processá-la por difamação.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado na versão inicial do texto, Scheila - e não Aline - foi acusada de ter desferido socos e pontapés numa jovem em um quiosque na Praia do Pepê. O conteúdo foi corrigido.

Cotidiano