PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

PM é afastado após agredir mulher com tapa no rosto na zona sul de SP

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

05/01/2021 18h59

Um policial militar que foi flagrado por um vídeo agredindo uma mulher com um tapa no rosto, no Jardim Lidia, zona sul de São Paulo, no fim do ano passado, foi afastado do serviço operacional e encaminhado ao serviço administrativo.

O nome do PM não foi divulgado pela corporação. De acordo com a Polícia Militar, foi instaurado um IPM (Inquérito Policial Militar) para apurar os fatos. O policial, caso seja considerado culpado, pode responder por lesão corporal e abuso de poder.

A Corregedoria da PM já investiga o caso. Caso seja considerado culpado, a maior punição que o policial poderá ter é a demissão. Em nota, a PM afirmou que "não compactua com desvios de conduta de seus agentes e apura com rigor todas as denúncias".

O segundo policial que aparece nas imagens também foi afastado do serviço operacional, de acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública).

O caso foi revelado pela RecordTV. Informações preliminares indicam que a agressão ocorreu em 25 de dezembro de 2020, mas a SSP não confirma: diz que as apurações ainda estão em andamento para confirmar a data.

Pelas imagens, o policial que agride a mulher parece discutindo com um rapaz que não aparece no vídeo. "Qual que é? Vem aqui pra você ver. Vem. Vem, maluco, vem. Vai tomar no c*", disse, com a arma da corporação na mão direita.

Na sequência, o policial ouve de uma mulher: "Eu sou mulher, não é assim que se faz, não". Ele manda a pessoa colocar a mão na cabeça. A mulher diz para uma colega: "Ele é homem". O policial, então, puxa a roupa da mulher, de forma agressiva, e diz novamente para ela colocar as mãos sobre a cabeça.

A mulher volta a dizer ao policial: "Não coloca a mão em mim, não, eu sou mulher". E o PM responde: "Fod*-se, fod*-se". Ela volta a falar para ele: "Olha a bicuda que você me deu". Na sequência, ele manda a mulher calar a boca três vezes.

Quando ela afirma, repetidas vezes, que o PM desferiu "bicudas" contra ela, ele confessa: "Eu dei mesmo. É. Cala a boca". Em seguida, ele agride a mulher com um tapa no rosto. Uma policial mulher chega na sequência e o vídeo é interrompido.

Segurança pública