PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Prefeitura de SP termina de colocar cerca em volta da Praça do Pôr do Sol

Praça do Pôr do Sol, na zona oeste de São Paulo, foi fechada com cercas de proteção para impedir a entrada de pessoas durante a pandemia - Reprodução/Facebook/@porduka
Praça do Pôr do Sol, na zona oeste de São Paulo, foi fechada com cercas de proteção para impedir a entrada de pessoas durante a pandemia Imagem: Reprodução/Facebook/@porduka

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

14/06/2021 14h08Atualizada em 14/06/2021 14h30

A Prefeitura de São Paulo concluiu a obra de instalação de uma cerca em volta da praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, conhecida como Praça do Pôr do Sol, na região de Pinheiros, zona oeste da cidade.

A instalação da cerca na praça teve custo de R$ 652,9 mil e foi alvo de protestos por parte da população e do MPSP (Ministério Público de São Paulo), que se manifestou contra o fechamento do espaço.

Em nota, a Subprefeitura Pinheiros informou que isolou a praça no início da pandemia a fim de evitar aglomeração de pessoas no local. "No processo licitatório para a colocação dos alambrados, foi escolhida a empresa e material de opção mais viável economicamente ao interesse público", diz a nota.

A subprefeitura afirmou ainda que reabertura do espaço ao público "segue em fase de estudos".

MP se manifestou contra após início da obra

O MPSP afirmou que a Prefeitura de São Paulo começou a obra para instalação da cerca antes de receber uma recomendação contrária por parte da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo.

O órgão informou que estuda fazer uma consulta pública com a população para verificar se preferem a praça com ou sem o cerceamento. Isso porque há associações de bairro contra e a favor do fechamento, e o tema divide opiniões.

De acordo com o MPSP, a subprefeitura já concordou em fazer essa consulta pública e a ideia é aguardar a melhoria da pandemia para dar início ao processo.

"Isso sem prejuízo do estudo de novas formas de valorização daquele importante espaço comunitário (por exemplo banheiros no local)", disse o órgão, em nota.

Cerca substitui tapumes

A instalação da cerca foi iniciada em 11 de dezembro e atende a pedidos da Saap (Associação Amigos do Alto de Pinheiros) e da Associação de Moradores de City Boaçava.

No entanto, desde abril do ano passado a praça estava fechada com tapumes para impedir a entrada de pessoas. O custo para colocação da barreira provisória foi de R$ 800 mil.

À época, a prefeitura informou que a iniciativa tinha objetivo de "facilitar a conservação do local, que contém características de parque e recebe grande quantidade de frequentadores".

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Cotidiano