PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Homem rasga faixa e destrói cruzes que homenageavam vítimas da covid em MG

Beatriz Gomes

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 14h33Atualizada em 22/06/2021 13h59

Um homem foi flagrado destruindo uma placa em homenagem às mais 500 mil vítimas da covid-19 no sábado (19), no município de Machado, em Minas Gerais. A gravação ainda mostra o homem pisando sobre algumas das 71 cruzes colocadas em torno da praça para representar o número de mortes de munícipes até aquele momento. Uma das organizadoras da homenagem registrou um boletim de ocorrência contra o suspeito.

Segundo o presidente do PT (Partido dos trabalhadores) de Machado, Leonardo Souza Ferreira, a homenagem foi feita na manhã de sábado — dia em que diversas manifestações se espalharam pelo país para protestar contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O presidente do partido declarou que a PM (Polícia Militar) e a prefeitura já tinham sido informadas da homenagem na Praça Antônio Carlos, no centro de Machado. O professor explicou que as cruzes ficariam na praça até o final da noite, mas foram destruídas por um "apoiador de Bolsonaro".

A manifestação foi realizada por munícipes, incluindo membros do PT e quatro vereadores de esquerda da região, que colocaram uma faixa com a frase "500 mil mortos no Brasil, 71 pessoas de Machado". Os manifestantes também colocaram cruzes pela praça para simbolizar cada uma das mortes pelo vírus na região e distribuíram à população panfletos informativos para o combate à covid-19. De acordo com Ferreira, o ato foi pacífico e silencioso.

Homenagem às vítimas da covid-19 foi destruída em MG - Waldyelisson Caixeta - Waldyelisson Caixeta
Homenagem às vítimas da covid-19 que foi destruída por um homem em MG
Imagem: Waldyelisson Caixeta

"Queria entender por que as cruzes colocadas na praça incomodam mais do que saber que a maioria dos machadenses que morreram poderiam estar entre nós se o presidente não tivesse atrasado a compra das vacinas e ignorado mais de 80 emails da Pfizer, que queria vender as vacinas ao Brasil por metade do preço para fazer de nosso país um exemplo de vacinação. Por que a verdade dói tanto para os bolsonaristas? São cúmplices? O que este cidadão fez foi desumano. Desrespeito pelas famílias enlutadas. Representação perfeita de quem ainda defende o despresidente"
Professor Leonardo, presidente do PT de Machado, em nota enviada ao UOL

Em vídeo enviado ao UOL, o vereador Robson Amano (PSB), que participou do ato e colaborou na confecção das cruzes destruídas, lamentou "a distorção e deslegitimação" do ato através das redes sociais na tarde de sábado, sucedido da vandalização da homenagem.

Boletim de ocorrência

No boletim de ocorrência feito por Larisse Silva de Souza, vice-presidente do PT de Machado, ela diz ter sido informada da destruição, por volta das 22h, através de um vídeo que filmou a ação. Posteriormente, a mulher contou ter recebido outras duas gravações onde o homem suspeito fez críticas e ameaças aos membros do partido enquanto segurava a faixa e uma das cruzes retiradas da praça.

Ainda está descrito no boletim que, após saber da destruição da homenagem, o vereador Antônio de Aguiar Ribeiro (Cidadania) se deslocou até o local e "recolheu o restante dos materiais". O caso foi registrado como dano consumado.

"Nós não podemos deixar isso ficar impune. Isso foi um ato contra as famílias enlutadas e contra a democracia", declarou Souza.

A assessoria de Comunicação do 64º BPM confirmou a abertura do boletim ao UOL e explicou que "registrou os fatos conforme narrativa da solicitante, a qual foi orientada em como proceder".

O UOL entrou em contato com a prefeitura de Machado e com o homem apontado como o responsável pela ação, mas não teve retorno até a última atualização desta matéria.

Coronavírus