PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Jovem universitária morre atropelada, e motorista foge e é preso no PR

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

02/08/2021 15h42

A Polícia Civil prendeu hoje, em Matinhos, litoral do Paraná, um homem de 33 anos, suspeito de atropelar e matar a universitária Pâmela Vaz, de 22 anos, mãe de uma criança de dois anos. O acidente ocorreu na noite de sexta-feira (30).

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento do acidente. A vítima aparece de bicicleta atravessando a Avenida Juscelino Kubitschek, no bairro Caiobá, quando é atingida pelo carro. Ela é arremessada para o alto e cai ao chão. O motorista não prestou socorro.

Pâmela chegou a ser atendida por médicos no Hospital Regional de Paranaguá, cidade vizinha, mas não resistiu e morreu na madrugada de sábado (31).

Os investigadores fizeram buscas e encontraram o suspeito na casa dele, em Matinhos. O carro supostamente conduzido no momento do atropelamento estava com marcas no capô e para-brisa.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito confessou informalmente o atropelamento e teria dito que não parou o carro por medo de ser agredido por populares. Ele presta depoimento ao longo da tarde para confirmar a versão.

Pâmela Vaz, de 22 anos, morreu em acidente em Matinhos (PR) - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Pâmela Vaz, de 22 anos, morreu em acidente em Matinhos (PR)
Imagem: Arquivo Pessoal

O UOL tentou contato com o advogado do suspeito, João Carlos Pinheiro, e aguarda retorno. O motorista será submetido à audiência de custódia na Justiça, que decidirá se ele responderá à investigação preso ou em liberdade.

Como o acidente aconteceu dias antes da prisão, ainda não foi possível atestar se o motorista usou alguma substância alcoólica ou alucinógena momentos antes do atropelamento.

A velocidade que o carro estava também será aferida somente após análise das imagens das câmeras de segurança pela perícia.

Vítima estudava na UFPR e deixa filha de dois anos

O advogado da família de Pâmela, Igor José Ogar, afirmou que os parentes ainda buscam entender as motivações que fizeram o motorista atropelar e não prestar socorro.

"A família está com sentimento de muita dor, em especial pelo descaso do motorista em tê-la deixado no local e fugido logo em seguida. Acreditamos que exista alguma razão para essa fuga, uma vez que o motorista é habilitado e o carro encontra-se em ordem. Estamos pesquisados fatos anteriores ao ocorrido", disse ele, ao UOL.

Pâmela Vaz era estudante de licenciatura em Linguagem e Comunicação na UFPR (Universidade Federal do Paraná) e deixa um filho de dois anos. Em nota, a instituição lamentou a morte.

Cotidiano