PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

'Em uma brincadeira acabou morto', diz amigo de vítima de ação em Araçatuba

Renato Bortolucci retornou ao local para filmar ataques no centro de Araçatuba  - Acervo Pessoal
Renato Bortolucci retornou ao local para filmar ataques no centro de Araçatuba Imagem: Acervo Pessoal

Marcelo Casagrande e Simone Machado

Colaboração para o UOL, em Araçatuba (SP)

30/08/2021 17h55Atualizada em 01/09/2021 01h47

Reunido com amigos em uma lanchonete em Araçatuba, no interior de São Paulo, o empresário Renato Bortolucci, de 35 anos, pôde acompanhar o início do ataque orquestrado por um grupo de homens fortemente armados na madrugada de hoje.

Dono de um posto de combustíveis na cidade a 519 quilômetros da capital paulista, ele estava com a esposa e alguns amigos a três quadras do local onde ficam as agências bancárias assaltadas quando começaram os disparos. Bertolucci, então, teria ido até a residência onde mora, deixado a mulher e retornado para a área central da cidade.

Ele foi inocente. Ficou curioso e voltou para ver os bandidos. Acho que ele não imaginava a proporção do negócio. Infelizmente em uma brincadeira ele acabou morrendo.
Amigo de Renato que pediu para ter a identidade preservada

"Ele teria ido ao local para fazer uma live do que estava acontecendo e acabou sendo alvejado pelos criminosos", afirmou à reportagem o coronel Rodrigo Arena, do Comando de Policiamento do Interior 10.

Em um vídeo ao qual o UOL teve acesso, e que seria de autoria de Bortolucci, ele surge aparentemente tranquilo e ironizando a ação dos criminosos. "É o Renatinho, pera aí que vou trocar uma ideia com vocês aí. [sons de tiros]. Não deu muito certo não. O cara não gostou não, eu falei que ia trocar uma ideia com ele..."

Segundo a polícia, ele foi surpreendido pelos criminosos, já que seu corpo foi encontrado dentro do carro que dirigia sobre uma calçada e ainda com o motor ligado.

Renato era bastante conhecido na cidade, era casado e tinha duas filhas: uma de 8 e outra de 13. Amigos do empresário afirmam que suas maiores virtudes eram ser um homem honesto e trabalhador.

"Ele não tinha preguiça. Era muito trabalhador e fazia de tudo pela família dele. Foi uma grande perda", acrescenta outro amigo do empresário.

Nas redes sociais, o empresário fazia questão de destacar a família. No perfil do Facebook, estava o registro da data do casamento: 2010. No último dia dos pais, a esposa do empresário publicou uma homenagem ao marido: "Parabéns a esse pai que, mesmo como diz suas filhas, [é] doidão e nunca deixou de cumprir seu lado de pai".

Em seu posto de combustíveis, o clima na manhã de hoje era de comoção. Muito abalados com a situação os funcionários do local não quiseram dar entrevista.

O corpo de Bortolucci está no IML (Instituto Médico Legal). Ainda não há previsão de liberação, segundo a Polícia Civil.

Além dele, outras duas vítimas já foram identificadas. Além de um homem suspeito de ter integrado a ação, foi encontrado na rua o corpo do professor de educação física Marcio Victor Possa da Silva, 34. Ele voltava de uma festa no momento do ataque.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram os momentos de tensão vividos por quem mora e por quem passava pelo centro da cidade durante a madrugada. A quadrilha explodiu agências bancárias, espalhou explosivos nas ruas e usou moradores como escudo na fuga.

Mapa Araçatuba - São Paulo  - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Cinco pessoas ficaram feridas e foram atendidas na Santa Casa. Uma delas teve os dois pés amputados devido aos ferimentos causados por um explosivo. A Polícia Militar confirmou que três pessoas foram detidas.

Para o secretário em exercício de Segurança Pública de São Paulo, coronel Álvaro Batista Camilo, a quadrilha se beneficiou de "informação privilegiada" para executar a ação.

Cotidiano