PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

CV e traficante transferido: O que se sabe sobre o sequestro de helicóptero

Marcinho do Turano é apontado como suspeito de ser alvo da audaciosa ação - Divulgação
Marcinho do Turano é apontado como suspeito de ser alvo da audaciosa ação Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/09/2021 11h45Atualizada em 22/09/2021 16h09

O sequestro de um helicóptero no Rio de Janeiro chamou a atenção pela ação audaciosa feita com o objetivo de resgatar um detento do Complexo de Gericinó, presídio conhecido como Bangu 8. No entanto, a tentativa foi frustrada pelo piloto, um policial civil de folga com histórico de participação em grandes operações, que reagiu à investida.

O caso aconteceu no domingo e, desde então, a polícia trabalha para tentar identificar a dupla que atuou no sequestro e também quem é o detento que seria resgatado. No momento, as investigações da polícia apontam para dois integrantes do Comando Vermelho como sequestradores e o traficante condenado Marcinho do Turano como alvo - mas as suspeitas ainda não são conclusivas.

Veja o que já se sabe sobre a ação:

O sequestro: O piloto de helicóptero Adonis Lopes de Oliveira, que também trabalha como policial civil, foi sequestrado durante um voo em que retornava de Angra dos Reis (RJ) à capital carioca, na tarde de domingo. Ele foi rendido por dois criminosos armados com fuzis.

adonis - Tatiana Campbell/UOL - Tatiana Campbell/UOL
20.set.2021 - Adonis Lopes chega para prestar depoimento após sequestro de helicóptero
Imagem: Tatiana Campbell/UOL

O objetivo do sequestro: Segundo a polícia, a intenção dos sequestradores era resgatar um detento do Complexo de Gericinó, presídio conhecido como Bangu 8. A Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas) concluiu que ele estava Instituto Penal Vicente Piragibe, onde estão alguns dos chefes do Comando Vermelho - maior facção criminosa do Rio de Janeiro.

Ação frustrada: Dois homens contrataram helicóptero para uma viagem a Angra dos Reis (RJ), feito com o piloto Leandro Monçores. Na volta, antecipada de segunda para domingo, Monçores não se sentiu bem e foi substituído por Adonis Lopes. Durante o trajeto de volta ao Rio de Janeiro foi anunciado o sequestro.

O piloto relatou que tentou convencer a dupla de que seria arriscado tentar pousar no presídio e desviou a rota em direção ao batalhão da Polícia Militar. Lopes diz que ao se aproximar do batalhão entrou em luta corporal com os dois homens, momento em que eles desistiram do sequestro. Todo o trajeto durou cerca de 50 minutos.

Suspeitos fogem: Segundo a polícia, com a desistência do plano, os criminosos deixaram o piloto conduzir a aeronave novamente e ordenaram que ele seguisse para Niterói (RJ), onde pularam do helicóptero em uma área de mata. Em seguida, a aeronave pousou só com Lopes no Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar, localizado na região.

Quem é Adonis Lopes: O policial estava de folga quando realizou o bico de piloto de helicóptero - algo permitido pela corporação. Com mais de 30 anos de carreira como piloto da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Lopes foi um dos primeiros condutores na operação de helicópteros blindados. Um dos episódios marcantes foi em maio de 2012, quando a Polícia Civil realizou uma operação em Senador Camará para prender o traficante José Sabino Pereira, de 37 anos, conhecido como Matemático. O criminoso acabou morto na ação por diversos tiros que foram disparados do helicóptero que Adonis pilotava.

O policial participou da ocupação do Complexo do Alemão em 2010 e, fora de seu trabalho principal, esteve no filme "Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora É Outro", como comandante do helicóptero em que o ator principal, Wagner Moura, é transportado.

tropa - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Como estão as investigações: Segundo a polícia, o uso de exame de impressão digital permitiu identificar um dos envolvidos. As investigações apontam que ambos pertencem à facção criminosa Comando Vermelho. O nome do suspeito não foi divulgado para não atrapalhar as investigações, de acordo com a corporação.

Suspeito do resgate: Márcio Gomes de Medeiros Roque, o Marcinho do Turano, foi transferido na tarde de ontem de presídio pela Seap (Secretaria de Administração Penitenciária). Ele é apontado como o principal suspeito de ser alvo de resgate pelos homens do helicóptero. Segundo a Seap, "câmeras de monitoramento, perceberam uma movimentação atípica do interno, no momento da ocorrência", o que levantou suspeitas para a secretaria.

O detento deverá ficar em nova cela até a conclusão das investigações. A defesa negou que Marcinho fosse alvo da tentativa de resgate.

Cotidiano