PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Paraguai: Polícia prende 6 brasileiros suspeitos de envolvimento em chacina

Do UOL, em São Paulo

11/10/2021 12h25Atualizada em 11/10/2021 16h06

A Polícia Nacional do Paraguai prendeu na manhã de hoje seis brasileiros suspeitos de envolvimento na chacina na cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã (MS). Quatro pessoas foram assassinadas no último sábado (9). A polícia investiga se foi uma ação comandada pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) no crime.

Na operação, também foram apreendidos três carros. Segundo a polícia, as detenções ocorreram numa casa que fica na área conhecida como Villa Estefan de Amambay, de onde teria saído o veículo com o qual os supostos pistoleiros viajaram para cometer o crime.

Os suspeitos foram identificados: Hywulysson Foresto, Juares Alvers da Silva, Luis Fernando Armando e Silva Simões, Gabriel Veiga de Sousa, Farley José Cisto da Silva Leite Carrijo e Douglas Ribeiro Gomes.

As vítimas, Osmar Grance, 32, Kaline Reinoso de Oliveira, 22, Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, 18, e Haylee Carolina Acevedo Yunis, 21, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambai, no Paraguai, estavam em direção de um carro branco. Elas saíam de uma casa de eventos. Kaline e Rhamye eram estudantes de medicina brasileiras.

Um vídeo obtido pelo UOL mostra o momento que eles foram assassinados. Nas imagens de câmera de segurança é possível ver que os suspeitos levaram menos de 10 segundos para realizar os disparos.

Segundo a polícia paraguaia, os assassinos dispararam mais de 100 tiros de fuzil. Osmar, motorista do veículo, foi atingido por 31 disparos. Kaline levou 14 tiros, Rhamye, 10 tiros, e Haylee, seis tiros.

Conforme publicado hoje pelo colunista do UOL Josmar Jozino, Osmar é apontado por policiais do país vizinho como o dono de uma lavanderia onde 14 integrantes do PCC foram presos este ano.

Um dos detidos era Weslley Neres dos Santos, 35, o Bebezão, um dos chefes do PCC na região de fronteira dos dois países. A prisão do bando aconteceu em março deste ano, em uma operação conjunta entre a Polícia Federal do Brasil e agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai.

Segundo policiais paraguaios, o alvo do ataque era Osmar, sobre quem recaía as suspeitas de ser informante da Senad e de ter delatado a reunião de Bebezão com outros brasileiros e paraguaios integrantes do PCC no galpão da lavanderia.

A região tem forte presença de facções do crime organizado voltadas para o tráfico internacional de drogas, a exemplo do PCC. De acordo com as forças de segurança do Brasil e do Paraguai, 15 pessoas foram mortas nas duas últimas semanas na fronteira.

Na sexta-feira, o vereador Farid Charbell Badaoui Afif, 37, foi morto a tiros em Ponta Porã. As autoridades investigam se as cinco mortes, que ocorreram em menos de 24 horas, têm alguma ligação.

Cotidiano