PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Após interior de SP, tempestade de areia atinge cidade de Mato Grosso

Nuvem de poeira encobre cidade de Primavera do Leste, em Mato Grosso - Reprodução/ Facebook
Nuvem de poeira encobre cidade de Primavera do Leste, em Mato Grosso Imagem: Reprodução/ Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/10/2021 13h00Atualizada em 15/10/2021 13h00

Uma tempestade de areia atingiu a cidade de Primavera do Leste, cidade a 239 km de Cuiabá (MT). O fenômeno deixou o céu escuro e só foi dissipado após uma forte chuva que atingiu a cidade logo em seguida, de forma semelhante ao que aconteceu em 12 municípios do interior de São Paulo.

Segundo os moradores da cidade, a tempestade de poeira começou a se formar por volta das 14h de ontem e durou cerca de 30 minutos. Em seguida, uma intensa chuva atingiu a cidade se estendendo até a noite o que ajudou a dissipar as partículas de poeira. Ainda assim, céu continuou com um tom amarronzado.

Em um vídeo feito por um morador e compartilhado nas redes sociais e aplicativos de mensagens é possível ver a força do vento e a nuvem de areia encobrindo a cidade.

Apesar de assustar os moradores, segundo a prefeitura de Primavera do Leste, o fenômeno não causou transtornos à população e nenhuma ocorrência foi registrada devido a ele.

Hoje, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo de chuvas intensas e ventos de até 60 km/h na região.

Tempestades de areia têm se tornado comum no Brasil

Tempestades de areia como a que atingiu Primavera do Leste (MT), já foram registradas neste mês em várias cidades no interior de São Paulo.

Também na tarde de ontem, moradores de Ribeirão Preto, Barretos, Batatais, Pirassununga, São Joaquim da Barra, Pitangueiras, Sertãozinho, Serrana, Brodowski, Jardinópolis e Colômbia registraram as grandes nuvens de poeira encobrindo as cidades.

Segundo o Climatempo a frequência do fenômeno deve aumentar nos próximos anos. Isso porque as tempestades de areia estão sendo estimuladas pelos períodos de estiagem cada vez mais intensos.

O fenômeno é provocado pelo tempo seco aliado a falta de chuvas, que faz com que detritos do solo sejam levados pelo vento formando imensas nuvens.

O site de meteorologia atribui a força das tempestades deste ano a uma sequência ruim de períodos chuvosos, com anos seguidos de precipitação abaixo da média, que deixaram o solo muito seco.

Cotidiano