PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Copiloto de avião que sumiu é experiente no trajeto e fazia 2º voo do dia

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

25/11/2021 13h50

José Porfírio de Brito Júnior, copiloto do bimotor que desapareceu no mar entre Paraty (RJ) e Ubatuba (SP), com outras duas pessoas, tem experiência no trajeto entre Campinas e o Aeroporto de Jacarepaguá (RJ), onde estava programado o pouso da aeronave, e fazia seu segundo voo do dia, segundo sua namorada.

Em conversa com o UOL, Thalya Viana contou que se encaminhou hoje para Paraty, para acompanhar as buscas, e afirmou que a aeronave já pertenceu ao namorado, mas havia sido vendida há um ano.

A última informação que Thalya teve do namorado foi por volta de 20h, quando ele avisou que iria decolar. A informação que a família obteve é de que a aeronave precisou fazer um pouso forçado devido a um problema no motor - mas isso ainda não foi confirmado

Thalya criticou a atuação dos órgãos competentes no caso. "A gente precisa saber a localização da aeronave. Aeronáutica, Marinha, Capitania dos Portos foram todos muito ausentes. Eles ficaram repassando a responsabilidade um para o outro. Chegaram a nos informar números de telefones inválidos para entrarmos em contato", disse ela.

avião - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
José Porfírio de Brito Júnior, copiloto do bimotor que sumiu no mar entre Paraty (RJ) e Ubatuba (SP)
Imagem: Reprodução/Instagram

Ainda de acordo com Thalya, esse era o segundo voo do dia do namorado. Ele havia saído do Rio de Janeiro para São Paulo e o retorno para a capital Fluminense estava previsto para o início da noite, mas acabou atrasando. "Estamos desde ontem tentando uma informação".

A família já fez contato com hospitais da região para saber se houve entrada de vítimas socorridas de acidente aéreo.

Buscas

O Corpo do Bombeiros informou que as equipes foram acionadas às 23h45 de ontem para atender a ocorrência. Na manhã de hoje, a Força Aérea Brasileira disse que localizou destroços que podem ser da aeronave desaparecida.

A ação de resgate ainda está ocorrendo e recebeu apoio do Corpo de Bombeiros de São Paulo. Eles foram chamados para prestar apoio durante a madrugada. Segundo a corporação, a ocorrência seria para atender a "problemas técnicos" em uma aeronave.

O voo saiu às 20h30 do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, e pousaria no Aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Além do piloto, estavam no avião o copiloto e um passageiro.

O Comando da Aeronáutica disse em nota enviada ao UOL que o Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico de Curitiba (ARCC-CW), unidade da Força Aérea Brasileira responsável por coordenar as operações de buscas aéreas na região, foi notificado na noite de ontem sobre o desaparecimento da aeronave.

As buscas iniciaram às 4h15 de hoje, com a utilização de óculos de visão noturna. Por volta das 6h35, a Força Aérea Brasileira localizou destroços no mar que, segundo o órgão, podem ser da aeronave desaparecida. "A localização foi repassada aos órgãos de busca marítima e os voos continuam", finaliza o comunicado.

A mãe do copiloto, Ana Regina, chegou a Paraty por volta de 5h de hoje para realizar buscas pelo filho. Ela reclamou de desencontros nas informações dos órgãos responsáveis pelas buscas.

Permissões

Segundo o RAB (Registro Aeronáutico Brasileiro), o avião não tinha autorização para fazer táxi aéreo. O veículo é do modelo PA-34-220T e aparece ainda vinculado ao copiloto, José Porfírio de Brito Júnior.

Apesar da autorização para táxi aéreo negada, o registro da aeronave aponta que ela está liberada para fazer voos noturnos privados e está com documentação regular.

A vistoria da aeronave estava em dia e o VAC (Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade) venceria em 6 de agosto de 2022.

Cotidiano